X
Brasil

Nova fase da Lama Asfáltica investiga desvios de mais de R$ 150 milhões

A nova fase da Lama Asfáltica é resultado da análise dos materiais apreendidos em fases anteriores, durante fiscalizações, exames periciais e diligências investigativas

Quarta fase da Operação Lama Asfáltica foi deflagrada pela PF / Divulgação

A PF (Polícia Federal) deflagrou na manhã desta quinta (11) a quarta fase da Operação Lama Asfáltica, que recebeu o nome de Máquinas de Lama e investiga organização criminosa que desviou recursos públicos por meio de fraudes de licitações, superfaturamento de obras públicas, aquisição fictícia ou ilícita de produtos e corrupção de agentes públicos. Segundo a PF, o prejuízo aos cofres públicos pode ter chegado a R$ 150 milhões. As informações são da Agência Brasil.

Estão sendo cumpridos três mandados de prisão preventiva, nove de condução coercitiva (quando a pessoa é levada à delegacia para depor e depois liberada), 32 de busca e apreensão, além da apreensão de valores nas contas bancárias de pessoas físicas e empresas investigadas. Cerca de 270 policiais federais cumprem os mandados judiciais em endereços nas cidades sul-matogrossenses de Campo Grande, Nioaque, Porto Murtinho e Três Lagoas; além da cidade de São Paulo e Curitiba.

De acordo com as investigações da PF, foram detectadas "novas motivações para o pagamento de propinas aos servidores públicos e a consequente tentativa de lavagem de dinheiro, dentre as quais a obtenção de benefícios e isenções fiscais. A nova fase da Lama Asfáltica é resultado da análise dos materiais apreendidos em fases anteriores, durante fiscalizações, exames periciais e diligências investigativas.

Na primeira fase da operação, ocorrida em julho de 2015, a Polícia Federal identificou doações irregulares para campanhas eleitorais. O grupo criminoso atuava na pavimentação de rodovias, construção de vias públicas, coleta de lixo e limpeza urbana. O prejuízo aos cofres públicos chegou a R$ 11 milhões, de um total de R$ 45 milhões fiscalizados. Naquela ocasião foram cumpridos 19 mandados de busca e apreensão e quatro ordens de afastamento de servidores estaduais, suspeitos de participação no esquema criminoso.

Em maio do ano passado, A PF deflagrou a segunda fase da Lama Asfáltica que investigou contratos que movimentaram mais de R$ 2 bilhões. Os contratos estavam relacionados com obras de pavimentação de rodovias, construção e prestação de serviços nas áreas de informática e gráfica.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Oportunidade

Praia Grande tem 23 vagas de emprego disponíveis no PAT

Interessados devem comparecer ao local para retirar carta de encaminhamento

Cotidiano

Prefeitura de Mongaguá promove protagonismo infantil em minissérie

O projeto 'Liga do ECA' foi inspirado pela 'Liga da Justiça' e as crianças puderam construir seus personagens de acordo com os ensinamentos passados pelos educadores

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software