No Dia do Doador de Sangue, internautas lamentam restrição a doador gay

Homens que fizeram sexo com outros homens são considerados parte de um grupo de risco

Comentar
Compartilhar
25 NOV 2019Por Folhapress21h02
Há restrições que impedem temporariamente (ou mesmo definitivamente) que uma pessoa faça a doaçãoFoto: Agência Brasil

Nesta segunda, 25 de novembro, é comemorado o Dia do Doador de Sangue no Brasil. A data é usada para jogar luz à importância da ação e incentivar que mais pessoas compareçam aos hemocentros do país. De acordo com o Ministério da Saúde, pessoas entre 16 e 69 anos e que estejam pesando mais de 50 kg podem ser doadoras. Mas há restrições que impedem temporariamente (ou mesmo definitivamente) que uma pessoa faça a doação -e é aí que entra o público LGBT.

Homens que fizeram sexo com outros homens são considerados parte de um grupo de risco e, segundo a Nota Técnica nº 015/2016 da Anvisa, estão inaptos temporariamente para fazer a doação. Ou seja, devem aguardar 12 meses após a relação sexual para doar.

O critério é considerado discriminatório e contestado por entidades LGBT, que questionam o conceito do "grupo de risco", utilizado no início da epidemia da Aids no Brasil, nos anos 1980. O ideal, segundo as associações, seria haver restrições à doação após comportamentos de risco, como sexo sem proteção e rotatividade de parceiros.

Usando a hashtag #DoadordeSangue, um dos assuntos mais comentados do dia no Twitter, internautas retomaram a discussão.

O Ministério da Saúde nega a discriminação. Uma nota sobre a inaptidão temporária de doadores de sangue HSH (homens que fizeram sexo com outros homens) disponível no portal da Anvisa explica que "a orientação sexual não é usada como critério para seleção de doadores de sangue por não constituir risco em si" e afirma que a restrição se baseia em "evidências epidemiológicas e técnico-científicas" que visam o interesse coletivo na garantia da segurança.

"Todas as evidências científicas e os trabalhos recentes apontam para a mesma direção -a prática sexual entre os HSH está associada a um risco acrescido de infecção por agentes sexualmente transmissíveis. Portanto, a exclusão temporária dos HSH, bem como dos outros comportamentos de risco mencionados na legislação referente à doação de sangue na triagem clínica, é uma medida que contribui para a proteção dos receptores de sangue", explica o comunicado.

Indivíduos que tenham feito sexo em troca de dinheiro ou drogas, pessoas com um ou mais parceiros ocasionais ou desconhecidos e pessoas que fizeram tatuagem, piercing ou transfusão também configuram o grupo com inaptidão temporária por 12 meses.

Como doar

Para doar sangue, basta procurar as unidades de coleta de sangue, como os hemocentros, e checar se você atende aos requisitos necessários para a doação. A coleta do material dura cerca de 40 minutos e pode beneficiar até quatro pessoas.
É recomendável que o doador esteja bem alimentado e descansado, mas que evite a ingestão de alimentos gordurosos antes da ação.