X

Brasil

MPF obtém pena mais dura para réu que mantinha ave ameaçada de extinção em cativeiro

A lei de crimes ambientais (nº 9.605) prevê o agravamento da pena quando se trata de espécie rara ou ameaçado de extinção

Da Reportagem

Publicado em 17/07/2018 às 16:38

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Na lista das espécies ameaçadas, o pássaro bicudo foi encontrado em gaiola durante Operação Cipó / Dênio Simões/Agência Brasilia

A pedido do Ministério Público Federal (MPF), o Tribunal Regional Federal (TRF3) aumentou a pena de um réu que mantinha em sua residência um pássaro bicudo em cativeiro sem autorização ambiental. A lei de crimes ambientais (nº 9.605) prevê o agravamento da pena quando se trata de espécie rara ou ameaçado de extinção. O bicudo – nome científico sporophila maximiliani – está relacionado na lista de espécies ameaçadas.

A segunda instância aumentou a pena para dois anos de reclusão e nove meses de detenção, a ser substituída por prestação de serviços à comunidade e pagamento de um salário mínimo à União. O valor da multa, que será calculado na execução da pena, também aumentou. Ele havia sido condenado pela primeira instância a dois anos e seis meses de reclusão, em regime aberto.

O réu foi alvo da Operação Cipó, destinada ao combate de crimes contra a fauna. Em 2012, em mandado de busca e apreensão, policiais federais e militares encontraram em sua casa, no município de Diadema (SP), um pássaro bicudo dentro de uma gaiola, com anilha falsificada. Interceptação telefônica autorizada judicialmente revelou um diálogo em que Silva oferece o pássaro ao interlocutor por R$ 1.300,00.

O aumento da pena, para casos como esse, visa punir mais severamente a torpeza de quem pratica delito contra espécie rara ou considerada ameaçada de extinção, sustentou a procuradora regional da República da 3ª Região (PRR3) Adriana Scordamaglia.

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cubatão

Processo de regularização fundiária no Costa Muniz tem início em Cubatão

A primeira etapa acontece na próxima segunda-feira (4), onde 90 famílias já estão agendadas para o atendimento

Nacional

Após o Carnaval, casos de covid disparam 83,2% no estado de São Paulo

As novas infecções foram impulsionadas pelas aglomerações recentes, além da circulação de subvariantes da ômicron

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter