MP realiza operação para desarticular esquema ilegal de adulteração de combustível

Serão cumpridos dois mandados de prisão e 16 mandados de busca e apreensão; dois suspeitos foram presos

Comentar
Compartilhar
21 OUT 2020Por Gazeta de S. Paulo15h05
Operação contou com o apoio da Polícia Rodoviária FederaFoto: Agência Brasil

Nesta quarta-feira (21), o Ministério Público de São Paulo, com apoio da Receita Federal e da Polícia Rodoviária Federal, realizou uma operação para desarticular um esquema de fraudes e adulteração de combustível. O grupo teria sonegado mais de R$ 538 milhões em tributos federais.

Segundo os investigadores, a quadrilha tinha um processo de adulteração de combustível e de importação ilegal de compostos usados na mistura da gasolina e do diesel.

No total, estavam programados para serem cumpridos dois mandados de prisão e 16 mandados de busca e apreensão nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro Minas Gerais, Bahia, Tocantins, Rondônia e Rio Grande do Sul.

Dois suspeitos foram presos: Ricardo de Oliveira (apontado como chefe do esquema) e André Luiz Ribeiro (sócio de uma das empresas).

Investigação

De acordo com o Ministério Público de São Paulo, a organização era especializada na adulteração de combustíveis e do composto químico ARLA 32, substância utilizada para garantir maior eficiência na redução dos poluentes nos motores a diesel.

Os suspeitos utilizavam ureia destinada à fabricação de adubos e fertilizantes para fabricar o ARLA32, segundo os investigadores. A mistura, além de causar mais danos ao meio ambiente, pode danificar o motor do veículo. Com informações da Gazeta de São Paulo.