Morte de homem negro em supermercado gera indignação

Ministros, políticos e atletas se manifestaram sobre o caso; João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi agredido até a morte em uma unidade do supermercado Carrefour, em Porto Alegre

Comentar
Compartilhar
20 NOV 2020Por Gazeta de S. Paulo16h35
João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi espancado até a morte em supermercado de Porto AlegreFoto: Reprodução/Redes sociais

O assassinato de um homem negro, que foi espancado até a morte em um supermercado, repercutiu entre autoridades nesta sexta-feira (20). Ministros, políticos e atletas se manifestaram sobre o caso que ocorreu em Porto Alegre, na noite desta quinta-feira (19), véspera do Dia da Consciência Negra.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes classificou o crime como bárbaro’. O Dia da Consciência Negra amanheceu com a escandalosa notícia do assassinato bárbaro de um homem negro espancado em um supermercado. O episódio só demonstra que a luta contra o racismo e contra a barbárie está longe de acabar. Racismo é crime!”, escreveu o ministro em sua conta oficial no Twitter.

O também ministro do STF, Alexandre de Moraes, afirmou que "o bárbaro homicídio praticado no Carrefour escancara a obrigação de sermos implacáveis no combate ao racismo estrutural".

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, disse que houve "excesso de violência”. “ Infelizmente nesse dia que nós deveríamos estar celebrando essas políticas públicas nos deparamos com cenas que deixam todos indignados pelo excesso de violência, que levou a morte de um cidadão negro, em um supermercado da capital gaúcha”, declarou Leite.

Já o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan, se solidarizou com os familiares da vítima e disse que “não podemos aceitar este tipo de violência."

Em seu Twitter, o jogador de futebol Richarlison Andrade, mostrou sua indignação com mais um caso de violência contra negros. “Parece que a gente não tem saída...Nem no dia da Consciência Negra. Aliás, que consciência? Mataram um homem negro espancado na frente das câmeras. Bateram e filmaram. A violência e o ódio perderam de vez o pudor e a vergonha. George Floyd, João Pedro, Evaldo Santos foram em vão?”, escreveu.

Morte

Na noite desta quinta-feira, um homem negro foi espancado e morto por dois homens brancos em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi agredido em uma unidade do supermercado Carrefour.

Os dois homens suspeitos, de 24 e 30 anos, foram presos em flagrante. Um dos detidos é policial militar, por isso, foi encaminhado para um presídio militar. O segundo suspeito é segurança da loja e foi levado para um prédio da Polícia Civil.

A vítima começou a ser espancada após um desentendimento com uma funcionária do estabelecimento, segundo a Brigada Militar. Ele teria ameaçado bater na funcionária, que chamou a segurança.

Em nota, o Carrefour disse que lamenta o ocorrido e entrará em contato com a família de João para dar o suporte necessário.