Justiça quebra sigilo de hackers suspeitos de atacar sistema do TSE

Polícia Federal quer estabelecer a relação de três hackers brasileiros com português, que foi preso no sábado

Comentar
Compartilhar
30 NOV 2020Por Gazeta de S. Paulo22h10
Sistema do Tribunal Superior Eleitoral sofreu tentativas de ataques no dia 15 e 19 de novembroFoto: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil

A Justiça Eleitoral do Distrito Federal determinou a quebra dos sigilos dos dados de hackers suspeitos de atacar o sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Entre os suspeitos há três brasileiros e um português. De com a Polícia Federal e o TSE, a tentativa de ataque não trouxe prejuízos para os resultados da votação, mas pode ter impactado na instabilidade do e-Título.

Serão analisados os dados de e-mail dos brasileiros. A partir deste material, a Polícia Federal quer estabelecer a relação dos brasileiros com o português, que foi preso no sábado durante uma operação contra crimes cibernéticos.

Segundo a investigação, a conexão entre o português e os brasileiros foi estabelecida a partir de postagens na internet e troca de mensagens. O português teria enviado um link do TSE para os brasileiros em um chat. Depois de analisar os dados, os brasileiros teriam identificado uma área a ser atacada.

Foram identificadas pelos policiais sete conexões no dia 15 novembro, quando foi realizado o primeiro turno da eleição, e dez no dia 19, poucos dias antes do segundo turno. A polícia acredita que os supostos ataques foram feitos por um grupo de hackers.