Gusttavo Lima fala sobre polêmica de posse de arma e recebe apoio de Gentili

No vídeo, ele diz que seria correto cidadãos portarem armas contanto que fosse constatado que a pessoa não tem antecedentes criminais

Comentar
Compartilhar
26 FEV 2018Por Folhapress13h45
Gusttavo Lima comentou a polêmica do vídeo em que aparece dando tiros de fuzil e criticando o Estatuto do DesarmamentoFoto: Reprodução Instagram/Gusttavo Lima

Gusttavo Lima, 28, comentou a polêmica do vídeo em que aparece dando tiros de fuzil e criticando o Estatuto do Desarmamento. Neste domingo (25) o cantor disse o que pensa em um vídeo, veiculado primeiro durante o "Fantástico" (Globo) e publicado posteriormente em seu Instagram, onde recebeu comentários e apoio de Danilo Gentili.

"Na minha opinião as pessoas poderiam ter o direito de se defender, já que nosso governo não faz isso", disse ele, sobre ser a favor da revogação do Estatuto do Desarmamento.

No vídeo, ele diz que seria correto cidadãos portarem armas contanto que fosse constatado que a pessoa não tem antecedentes criminais. "Tudo feito com seriedade, tem que ter critério sim, tem que ter cuidado, psicólogo, todo um processo. Não simplesmente preencher um formulário pelo computador."

O sertanejo relata que, há cerca de 40 dias, foi assaltado em seu carro. "Em plena luz do dia, um bandido bateu no vidro do meu carro, apontou a arma para mim a cerca de um palmo da minha cabeça. Foi a pior sensação que eu poderia ter na minha vida. Só quem já passou por isso sabe", disse. 

O cantor concluiu dizendo que era, sim, a favor do porte de armas, contanto que fosse levado em conta os pontos citados por ele. "Que as nossas famílias tenham o direito de se proteger, já que estamos tão ameaçados e tão jogados"

No Instagram e no Twitter o humorista Danilo Gentili concordou com o sertanejo. "Mandou bem demais, tô com você", comentou ele. Mais tarde, durante a exibição do "Fantástico", Gentili defendeu o posicionamento do sertanejo.

"Que crime terrível o Gusttavo Lima cometeu hein? Imagine só que ele teve a audácia de emitir uma opinião própria nas redes dele e essa opinião não foi a que a redação do 'Fantástico' queria ouvir", disse ele.