GCM é morto a tiros por PM após confusão na frente de casa noturna

O veículo do guarda, um Fiat Siena, foi localizado com outra arma de fogo em seu interior que foi apreendida e encaminhada para perícia

Comentar
Compartilhar
09 MAI 2021Por Folhapress11h05
Policiais militares estavam em patrulha "quando escutaram um barulho de disparos de arma de fogo" em frente a uma casa noturna na avenida João Ventura dos Santos, bairro Portal D'Oeste, em Osasco.Policiais militares estavam em patrulha "quando escutaram um barulho de disparos de arma de fogo" em frente a uma casa noturna na avenida João Ventura dos Santos, bairro Portal D'Oeste, em Osasco.Foto: Reprodução/Google Maps

Um GCM (Guarda Civil Metropolitano) de 43 anos acabou morto a tiros pela PM (Polícia Militar) em Osasco, na Grande São Paulo, "após realizar disparos de arma de fogo na rua e apontar a arma para policiais militares na madrugada deste sábado (8)", afirmou ao UOL a Secretaria Estadual de Segurança Pública.

De acordo com a pasta, policiais militares estavam em patrulha "quando escutaram um barulho de disparos de arma de fogo" em frente a uma casa noturna na avenida João Ventura dos Santos, bairro Portal D'Oeste, em Osasco.

"Logo após, [os PMs] viram um homem realizando outros disparos para o alto, dando chutes e gritando com um indivíduo que estava no chão", diz a secretaria. "Os policiais desembarcaram das viaturas e tentaram conversar com o guarda."

"Em determinado momento, ele se virou com a arma apontada para os agentes, que, para se defenderem, dispararam contra o homem. Ele foi socorrido ao Hospital Regional de Osasco, onde morreu", completou a nota.

O rapaz que era chutado pelo guarda municipal estava com sua companheira no momento dos disparos. À polícia, os dois disseram que estavam brigando entre eles quando o guarda civil apareceu.

"Ele pensou que eles [o casal] estavam o afrontando, iniciando o desentendimento", ainda segundo a secretaria. 

O veículo do guarda, um Fiat Siena, foi localizado com outra arma de fogo em seu interior que foi apreendida e encaminhada para perícia junto com a arma em posse dele e as armas dos militares.

"Foram requisitados exames periciais ao IC [Instituto de Criminalística] e IML [Instituto Médico Legal] e o Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) de Osasco foi acionado", diz a pasta. 

O caso foi registrado pelo 10º DP de Osasco como morte decorrente de intervenção policial e disparo de arma de fogo.