Funcionários da Ford temem desemprego após montadora anunciar fim da produção

Em Taubaté, no interior de São Paulo, mais de 830 funcionários serão demitidos após o fim da produção

Comentar
Compartilhar
12 JAN 2021Por Gazeta de S. Paulo17h15
Assembleia de trabalhadores da Ford em Taubaté, no interior de SP, na manhã desta terça-feiraFoto: Rogério Marques/Futura Press/Folhapress

Os funcionários da fábrica da Ford na cidade de Taubaté, no interior paulista, temem o desemprego após a montadora anunciar o fim da produção de veículos em todo o País. Só na cidade, mais de 830 funcionários serão desligados. Na manhã desta terça-feira, o Sindicato dos Metalúrgicos convocou todos os trabalhadores para uma assembleia no pátio da empresa.

A Ford está em Taubaté há 52 anos e empregou milhares de moradores ao longo dos anos com a produção de motores e transmissões. A montadora faz parte de uma das bases da economia em Taubaté, que é o setor automobilístico e de autopeças – desenvolvidos a partir das fabricantes de automóveis.

Em Taubaté, a montadora vinha passando por dificuldades e adotando medidas diante do cenário econômico, como paralisação da produção, redução de salários e jornadas e demissões.

Além da fábrica do interior paulista, também serão fechadas as fábricas em Camaçari (BA) e em Horizonte (CE). No País, serão mantidos apenas o Centro de Desenvolvimento de Produto, na Bahia, o Campo de Provas e sua sede regional, ambos em São Paulo.

Em comunicado, a marca diz que a decisão foi tomada "à medida em que a pandemia de Covid-19 amplia a persistente capacidade ociosa da indústria e a redução das vendas, resultando em anos de perdas significativas".

Já a Prefeitura de Taubaté informou que lamenta o fechamento da planta da Ford na cidade, que vai dar o apoio necessário aos demitidos, mas ressaltou que vai buscar meios de atuação no caso.