Felipe Neto terá que gravar vídeo onde diz que 'não pode provar que Malafaia enriquece através de fiéis'

O processo veio na esteira de uma fala de Neto que dizia que Malafaia "explora a fé das pessoas para enriquecer". Mas agora, de acordo com a coluna de Lauro Jardim, no jornal O Globo, o imbróglio parece estar no fim.

Comentar
Compartilhar
02 NOV 2019Por Folhapress18h50
Silas Malafaia e Felipe Neto travaram batalha judicial.Foto: Reprodução/Instagram/Redes Sociais

Felipe Neto, 31, fez sua fama na internet com vídeos em que criticava todo o tipo de coisa. Com o passar do tempo, angariou críticas pelo temperamento e polêmicas nas quais se envolvia.

Mas, recentemente, caiu no gosto de muitos jovens ao defender publicamente pautas como o ativismo LGBT -após censura de Crivella a beijo gay na Bienal do Rio, por exemplo, o youtuber comprou livros com a temática para distribuição gratuita.

Foi por causa de uma de suas alfinetadas ao conservadorismo que ele se envolveu em uma disputa judicial contra Silas Malafaia, 61, conforme revelou em agosto.

"Silas Malafaia está me processando criminalmente, buscando minha condenação à prisão, simplesmente por eu ter acabado com seu esquema de boicotes a empresas que apoiam causas LGBT. Meu vídeo continua no ar, minha luta contra o processo será até o fim", escreveu à época.

O processo veio na esteira de uma fala de Neto que dizia que Malafaia "explora a fé das pessoas para enriquecer".
Mas agora, de acordo com a coluna de Lauro Jardim, no jornal O Globo, o imbróglio parece estar no fim.

O youtuber e o pastor firmaram um acordo na Justiça para encerrar o processo. Segundo a publicação, Neto tem até a próxima sexta (8) para gravar um vídeo em que diz o seguinte:

"Em acordo na queixa-crime [...], venho esclarecer que: eu critico a postura e não concordo com muitas coisas que o pastor Silas Malafaia fala, mas não posso provar e afirmar que ele enriquece através de fiéis."