Fatalidades de trânsito recuam no primeiro trimestre no Estado

Segundo o Infosiga SP, foram registrados 92 óbitos a menos entre janeiro e março, redução de 7,1%

Comentar
Compartilhar
19 ABR 2018Por Da Reportagem16h00
Entre janeiro e março, as fatalidades reduziram em -7,1%, passando de 1.298 para 1.206Foto: Divulgação/Fotos Públicas

O Infosiga SP, sistema do Governo de São Paulo que divulga mensalmente dados sobre acidentes de trânsito no Estado, revela que o número de óbitos foi menor no primeiro trimestre deste ano. Entre janeiro e março, as fatalidades reduziram em -7,1%, passando de 1.298 para 1.206 ocorrências. Em março, foram 445 óbitos contra 473 no mesmo período do ano passado (-5,9%).

"A segurança no trânsito é uma prioridade do Governo do Estado e entrou definitivamente na pauta das Prefeituras. Há ainda muito trabalho a fazer, mas os índices já são resultado de uma maior mobilização de toda sociedade. Somente a união de esforços pode tornar nosso trânsito mais humano e seguro", afirma a coordenadora do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, Silvia Lisboa.

Nas vias municipais, a redução foi mais acentuada. Ruas e avenidas somaram 581 óbitos no primeiro trimestre, redução de 11,4% (656 casos em 2017). Já nas rodovias que cortam o Estado, foram registradas 512 fatalidades, redução de 3,6% (531 casos no mesmo período do ano passado).

Motociclistas ainda lideram as estatísticas, mas houve redução de 6,8% entre janeiro e março (412 óbitos contra 442 em 2017). Redução significativa também entre pedestres: -10,6% (337 fatalidades contra 377 no ano passado). Ocupantes de automóveis aparecem na terceira posição, com redução de 0,7% (275 óbitos contra 277).

Já entre os ciclistas, houve aumento de casos no Estado. O Infosiga SP registrou 13 óbitos a mais entre janeiro e março, o que representa aumento de 17,8% (86 ocorrências contra 73). A prevenção de acidentes envolvendo bicicletas é um dos focos de trabalho do Movimento Paulista.

"Vários fatores contribuem para esse dado, entre eles o aumento do número de ciclistas nas cidades", explica Silvia Lisboa. "Temos atuado junto aos municípios e contemplado projetos que favorecem esse grupo, incluindo a construção de ciclovias e melhorias na sinalização. Mas é fundamental que os demais atores do trânsito tenham mais cuidado com o ciclista, que merece sempre nosso respeito e atenção", ressalta.