Fake news: Decisão do STF não vai libertar pedófilos e estupradores, diz advogado criminalista

Correntes de notícias falsas estão tomando as redes sociais e também o Whatsapp.

Comentar
Compartilhar
09 NOV 2019Por Da Reportagem13h05
Foto: Getty Images/Rawf8

Uma nova onda de notícias falsas tem tomado as principais redes sociais desde a decisão do STF, baseada na Constituição Federal, de que a prisão em 2ª instância não deve ser mais adotada. Em uma das corremtes, compartilhada por centenas de pessoas, havia a informação de quer a decisão do Supremo libertaria não apenas Lula, mas também "uma séria de pedófilos e estupradores". Porém, segundo apurado pelo UOL, isso não é verdade.

O advogado criminalista Leonardo Pantaleão, em entrevista ao UOL, disse que a decisão do Supremo Tribunal Federal não atinge as pessoas que estão cumprindo prisão preventiva.

Entre outras coisas o profissional disse que estupradores, pedófilos e homicidas estão no regime de prisão preventiva, o que não muda com a decisão do STF. Para que eles não sigam praticando os crimes, são colocados num sistema penitenciário que independe do trânsito em julgado. Ou seja, a decisão de soltura do ex-presidente Lula não interfere em nada nestes casos.

A mesma corrente de fake news diz que mais de 85 mil presos irão para as ruas, o que não é verdade. Segundo o Conselho Nacional de Justiça, o número não deve passar de 5 mil. E não há liberdade automática, conforme diz o final do texto falso.

*Com informações do UOL