Ex-policial militar atira na mulher após suposta traição: 'Defendi minha honra'

Após ferir a companheira, segundo a Polícia Civil, o PM reformado fugiu. Ele se entregou à Corregedoria da corporação por volta das 15h30.

Comentar
Compartilhar
22 SET 2018Por Folhapress17h37

Um policial militar reformado de 55 anos confessou ter atirado na boca de sua mulher, uma estudante de 26 anos, após ambos discutirem na casa deles, nesta sexta-feira (21), por volta das 14h, em Perdizes (zona oeste de SP).

A vítima foi encaminhada em estado grave para o Hospital das Clínicas, na região central de São Paulo, onde seria submetida a uma cirurgia.

Segundo o próprio subtenente Antônio Ferreira de Carvalho contou à reportagem, ele "descobriu" na quinta-feira que sua mulher "havia o traído com um garçom" no Espírito Santo.

"Quando perguntei se ela havia me traído, ela negou. Aí partiu para cima de mim e atirei. Defendi a minha honra", afirmou o acusado, que aparentava estar embriagado, nesta sexta, na delegacia. De acordo com a polícia, ele usou revólver calibre 38 para atirar uma vez na vítima.

Após ferir a companheira, segundo a Polícia Civil, o PM reformado fugiu. Ele se entregou à Corregedoria da corporação por volta das 15h30.

No dia 17, de acordo com a polícia, a mulher de Carvalho registrou um boletim de ocorrência de lesão corporal contra ele.

Eles estão juntos havia 11 meses. O suspeito foi indiciado em flagrante por tentativa de feminicídio e seria encaminhado ao presídio da Polícia Militar, Romão Gomes, no Tremembé (zona norte).

Colunas

Contraponto