Banner gripe

Estudo sugere que inflamação no cérebro pode ser a causa da obesidade

Experimentos feitos com camundongos apontam que essas lesões seguidas da inflamação começam muito antes de o indivíduo começar a engordar

Comentar
Compartilhar
15 OUT 2017Por Nilson Regalado11h00
Estudo da Unicamp sugere que a inflamação no cérebro pode ser a causa da obesidadeFoto: Divulgação

A adoção de uma dieta sistematicamente rica em gorduras saturadas pode desencadear uma lesão nos neurônios de uma região do cérebro conhecida como hipotálamo. A partir daí, o organismo desenvolve mecanismos de defesa para combater o que ele interpreta como uma inflamação. E os efeitos desse embate no hipotálamo podem se tornar irreversíveis. Experimentos feitos com camundongos apontam que essas lesões seguidas da inflamação começam muito antes de o indivíduo começar a engordar.

No entanto, os cientistas sugerem que os efeitos nocivos aos neurônios após uma refeição esporádica rica em gordura saturada podem ser minimizados. E isso se dá com a ingestão de vegetais e alimentos ricos em fibras por vários dias. Assim, a inflamação diminui e os neurônios se recuperam.

O que não pode acontecer é a dieta obesogênica se tornar frequente, pois isso leva a um aumento gradativo do processo inflamatório. Nesse processo, as moléculas de gordura saturada são absorvidas no intestino, caem na corrente sanguínea e chegam ao cérebro, junto com os demais nutrientes da dieta.

No sistema nervoso central, uma célula de defesa conhecida como micróglia entende que aquele excesso de gordura ameaça os neurônios e começa a lançar moléculas inflamatórias como se estivesse combatendo um patógeno.

Caso essa inflamação perdure por muito tempo, os neurônios acabam morrendo. E, após a perda dessas células, que funcionam como sensores da quantidade de alimentos ingeridos, os indivíduos passam a sentir cada vez mais necessidade de consumir alimentos ricos em gordura e açúcar.

O passo seguinte neste roteiro da obesidade é a alteração da microbiota intestinal, bactérias que compõem a flora intestinal. E isso contribui tanto para o agravamento da obesidade como das doenças a ela associadas, como diabetes e hipertensão.

A principal fonte de gordura saturada são alimentos de origem animal, como carnes, manteiga e laticínios. Mas esse nutriente também está presente em produtos industrializados, inclusive biscoitos, sorvetes, bolos e tortas.

Os resultados do estudo feito na Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp foram apresentados em setembro, em SP. Agora, os cientistas partem para o processo de neurogênese, que seria a “fabricação” de novos neurônios no hipotálamo a partir de células tronco a fim de conter a obesidade.

Etanol está imbatível...
O volume de etanol hidratado negociado no mercado paulista neste início de mês cresceu 87% na comparação com o mesmo período de 2016, segundo dados do Cepea/USP. Em SP, o etanol se mantém mais vantajoso para o consumidor que a gasolina há 22 semanas.

...há 22 semanas em SP!
Neste período, o biocombustível custou, em média, 67,9% do preço da gasolina, segundo a ANP. Segundo especialistas, vale a pena abastecer com etanol quando o biocombustível custa menos de 70% do valor da gasolina.

Uma luz...
Cálculos do Projeto Sucre (Sugarcane Renewable Electricity) indicam que a geração de bioeletricidade a partir da palha de cana-de-açúcar tem potencial para produzir 35,5 TWh por ano.

...em tempos de...
Esta quantidade poderia suprir 27% do consumo de eletricidade residencial no Brasil ou abastecer quase todas as 28 milhões de residências do Estado de SP, que consumiram um total de 38 TWh em 2016, segundo o Balanço Energético Nacional elaborado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

...horário de verão
Atualmente, a eletricidade produzida a partir da biomassa é responsável por 8% da eletricidade total gerada no Brasil, que foi de 620 TWh em 2016, segundo a EPE.

Filosofia do campo:

“Se perder um amor, não se perca!/Se o achar, segure-o!/Circunda-se de rosas, ama, bebe e cala/O mais é nada”. Fernando Pessoa (1888/1935), poeta, filósofo e dramaturgo português.

Colunas

Contraponto