Estado do Pará prende ativistas pelos direitos humanos

A prisão seria uma forma de ­desmoralizar as lideranças que lutam ao lado dos pequenos produtores rurais, ribeirinhos, sem-terra e descendentes de ­escravos.

Comentar
Compartilhar
01 ABR 2018Por Nilson Regalado14h20
Este é mais um episódio no embate entre boias-frias e fazendeiros do Pará.Foto: Agência Brasil

Sem sequer ouvir o Ministério Público e baseada em depoimentos de fazendeiros, uma juíza do Pará decretou nesta semana a prisão do padre José Amaro Lopes de Sousa. A prisão do religioso foi interpretada como uma forma de aparelhamento do Judiciário por parte de ruralistas e ­latifundiários, uma tentativa de intimidar a ação de defensores dos direitos humanos e lideranças dos trabalhadores rurais no Estado.

A prisão seria uma forma de ­desmoralizar as lideranças que lutam ao lado dos pequenos produtores rurais, ribeirinhos, sem-terra e descendentes de ­escravos.

Este é mais um episódio no embate entre boias-frias e fazendeiros do Pará, estado que foi o palco do massacre de 19 trabalhadores sem-terra em Eldorado do Carajás, assinados por policiais militares em 1999. 

O Pará também protagonizou o assassinato da religiosa norte-americana Dorothy Stang, em 2005, morta por defender agricultores de subsistência contra os interesses dos grandes fazendeiros. Em 2017, aconteceu no município de Pau d´Arco, também no Pará, a maior chacina de boias-frias em todo o mundo, com o assassinato de dez trabalhadores rurais por policiais militares.

Mesmo diante de tamanha violência no campo, a Justiça do Estado resolveu prender o padre, reconhecido como um importante defensor dos direitos humanos e herdeiro do legado de Dorothy Stang no combate àqueles que querem se apropriar criminosamente de terras públicas para explorá-las, à custa da expulsão do povo que precisa das terras para sobreviver.

Desde 2001 o Centro de Documentação Dom Tomás Balduíno, da Comissão Pastoral da Terra, vinculada à Igreja Católica, registra ameaças de morte contra o padre Amaro, que se sucederam diversas vezes nos anos seguintes. Por ironia, o inquérito policial que culminou na prisão de Amaro o acusa de incitar homicídios.

Até o fechamento desta edição, o religioso permanecia sob custódia no município de Altamira, no mesmo presídio onde estão os condenados pelo assassinato de Dorothy Stang.

A música, a Física...
Na próxima sexta-feira acontece a segunda rodada de bate-papos ‘Ciência em Diálogo’, que reúne físicos e artistas para trocar ideias com uma plateia formada basicamente por estudantes e professores no Instituto Moreira Salles, na Avenida Paulista, 2.424. O evento conta com a parceria do Instituto Sul-Americano para Pesquisa Fundamental.

...a arte, os planetas...
O primeiro bate-papo da série, em março, contou com a presença do norte-americano naturalizado brasileiro Nathan Berkovits, graduado em Física na Harvard University e professor do Instituto de Física da Unesp. 

...a fotografia e a...
Também contrabaixista, Berkovits debateu com a plateia o legado do astrônomo alemão Johannes Kepler (1571-1630), que revolucionou a Ciência há 400 anos. Kepler elucidou o movimento dos planetas em órbitas elípticas ao redor do sol tendo como ponto de partida o conceito de intervalo musical, que define se o tom é mais grave ou mais agudo entre duas notas. 

...beleza do conhecimento!
Na próxima sexta-feira, o tema da roda de conversa é Fotografia Espacial. Apenas 30 senhas são distribuídas aos interessados a partir das 18h30. O bate-papo acontece das 19 às 21 horas e a entrada é gratuita.

Ofertas na feira
Caqui rama-forte, limão taiti, abacate, goiaba branca, coco verde, manga tommy, laranja seleta, berinjela, pimentão verde, couve manteiga, milho verde; alfaces crespa, lisa e americana; cenoura, batatas lavada e asterix e alho chinês fecharam a semana com preços em baixa na Ceagesp.

Filosofia do campo:
“Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma” 
Joseph Pulitzer (1847/1911), jornalista e editor húngaro inventor da manchete.