Estado de SP tem 179 mortes por Covid em 24h e vê internação aumentar

Tanto o Estado quanto a Capital registraram aumento de internações nas últimas semanas; Covas nega segunda onda

Comentar
Compartilhar
24 NOV 2020Por Bruno Hoffmann - GSP20h05
O uso de máscara no transporte público é obrigatório em São Paulo; item ajuda a evitar a transmissão do vírusFoto: Roberto Parizotti/FotosPublicas

O estado de São Paulo registrou nesta terça-feira 41.455 mortes e 1.215.844 casos confirmados do novo coronavírus, o que representa 179 novas vítimas fatais contabilizadas no período de 24 horas.

De acordo com a secretaria estadual da Saúde, as taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 56,1% na Grande São Paulo e 48,4% no Estado. O número de pacientes internados é de 9.247, sendo 5.356 em enfermaria e 3.891 em unidades de terapia intensiva.

Na Capital, segundo levantamento da "TV Globo", o número de pacientes internados com Covid-19 cresceu e a taxa de ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) na rede municipal chegou a 49%. Há um mês, esse índice era de 35%. 

Neste momento,963 pacientes estão internados em UTIs, em leitos de hospitais municipais e alugados pela prefeitura na rede particular. A taxa de transmissão da doença também está crescendo, e hoje está em 1,53.

O candidato à reeleição à Prefeitura de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), afirmou na segunda-feira (23) que não há indícios de uma segunda onda de Covid-19 na cidade que obrigue a gestão municipal a tomar medidas de isolamento social mais duras.

“Não há nenhum indício de segundo pico da doença em São Paulo. Nosso foco é manter a defesa da vida como a questão principal a ser enfrentada”, garantiu o prefeito, durante ato de campanha no bairro da Liberdade, no centro da Capital.

De acordo com dados da Secretaria da Saúde, as internações no Estado também voltaram a crescer na última semana. Houve um aumento de 17% nas internações entre os dias 15 e 21 de novembro, após aumento de 18% na semana anterior, de 8 a 14 de novembro.

Entre as vítimas fatais no Estado estão 23.848 homens e 17.607 mulheres. Os óbitos permanecem concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 76,6% das mortes.