Escolas querem que Carnaval de São Paulo seja realizado em maio de 2021

O adiamento foi discutido pelos presidentes das escolas dos grupos Especial e de Acesso em reunião realizada na noite desta segunda-feira (20) na Liga das Escolas de Samba de São Paulo

Comentar
Compartilhar
21 JUL 2020Por Folhapress18h04
Outro motivo para pedir o adiamento é a falta de tempo para as escolas prepararem o CarnavalFoto: Agência Brasil

As escolas de samba de São Paulo vão pedir para a Prefeitura adiar os desfiles de Carnaval de fevereiro para maio ou junho de 2021, se não houver uma vacina contra o novo coronavírus até o fim do ano. O adiamento foi discutido pelos presidentes das escolas dos grupos Especial e de Acesso em reunião realizada na noite desta segunda-feira (20) na Liga das Escolas de Samba de São Paulo. A proposta ainda vai ser levada para a gestão Bruno Covas (PSDB).

A proposta de adiamento dos desfiles foi confirmada à reportagem pelas escolas Império de Casa Verde e Imperador do Ipiranga. Segundo o vice-presidente Império da Casa Verde, Fabio Leite de Sousa, o Fabinho, o pedido de adiamento teve apoio das escolas.

"Discutimos [na reunião] que não temos condições de fazer o desfile em fevereiro. A proposta é fazer [os desfiles] em maio. Nossa prioridade é a saúde e a segurança de todos os componentes", afirmou Fabinho.

Outro motivo para pedir o adiamento é a falta de tempo para as escolas prepararem o Carnaval. Devido à quarentena, algumas ainda não definiram nem o samba-enredo para começar fazer as fantasias e alegorias. Neste mesmo período do ano passado, as escolas já estavam ensaiando nas quadras e preparando os adereços.

O presidente da escola Imperador do Ipiranga, Rodrigo Souto, também defendeu o adiamento. "Não há condições de fazer o Carnaval [em fevereiro], por isso defendo o adiamento para maio ou junho. Por outro lado, também nos preocupamos com centenas de famílias que dependem do Carnaval para ter renda", afirmou.

A Liga disse em nota que está discutindo o assunto com a prefeitura, "analisando o cenário e buscando uma alternativa para a realização dos desfiles das escolas de samba, com segurança, saúde e imunização".

Santos

Preocupados com  os desfiles do Carnaval de Santos em 2021, membros de todas as agremiações acreditam que seja possível adiar ou até cancelar a festa caso não haja uma vacina contra o novo coronavírus até a data. Quem garante, é o presidente da Liga das Escolas de Samba de Santos (LICESS), Benedito de Andrade Fernandes, o 'Ditinho'. O Carnaval será realizado, ou não, em fevereiro do ano que vem.

Ele e o secretário de Cultura de Santos, Rafael Leal, se reuniram para discutir a realização dos desfiles e concordaram em aguardar mais alguns meses para verificar se a vacina contra a doença será lançada e se as escolas terão tempo hábil para realizarem o carnaval.

Ditinho diz ainda que será muito corrido organizar todo o projeto a tempo de fevereiro de 2021. Por isso, acredita que o ideal seja tentar mexer no regulamento ou adiar os desfiles para maio ou junho.