X
Brasil

Endividado, Hopi Hari fecha as portas por pelo menos um mês

No último domingo (14), os funcionários foram avisados de que receberiam uma licença remunerada por 30 dias

O parque de diversões Hopi Harideve fechar as portas por pelo menos um mês / Divulgação

O parque de diversões Hopi Hari, em Vinhedo (interior de São Paulo), deve fechar as portas por pelo menos um mês.

No último domingo (14), os funcionários foram avisados de que receberiam uma licença remunerada por 30 dias.

A empresa afirmou que quem já comprou ingressos pode pedir reembolso ou trocar o "passaporte" por um novo, com prazo de validade até 31 de dezembro.

O estabelecimento anunciou na sexta-feira (12) que iria fazer uma "pausa" em suas atividades, sem previsão de quando voltaria a funcionar. Neste fim de semana, visitantes que compraram ingressos se depararam com os portões fechados.

As dívidas do Hopi Hari somam cerca de R$ 700 milhões. Entre os credores, estão o BNDES, a Prefeitura de Vinhedo e a CPFL Energia, que cortou a luz do parque em 10 de abril -nos fins de semana seguintes, o local funcionou com gerador.

O parque entrou com um pedido de recuperação judicial em agosto de 2016, mas o processo ainda não foi aprovado. O novo dono, José Luiz Abdalla, adquiriu o controle acionário da companhia em dezembro de 2016, com a promessa de construir um complexo hoteleiro com 1.200 apartamentos e um centro de convenções no local.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Política

Bolsonaro recebe mensagem do papa Francisco em missa de sétimo dia de sua mãe

Apesar de sua proximidade com os evangélicos, o presidente é católico

Esportes

Santos cria preparação especial pós-Covid e seguirá desfalcado no Paulista

No retorno ao CT Rei Pelé após a quarentena, os atletas passam por exame cardiológico e, quando liberados, iniciam os treinos com 60% da carga física

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software