Doria reforça vacinação para indígenas e quilombolas a partir do sábado

Governador afirmou desconhecer o motivo que levou o governo federal a excluir parte desse grupo do Plano Nacional de Imunização

Comentar
Compartilhar
20 JAN 2021Por Estadão Conteúdo16h20
Segundo informou Doria, a vacinação de indígenas terá início em São Bernardo do CampoFoto: Divulgação/Governo do Estado de SP

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou no período da tarde desta quarta-feira, 20, que a imunização das populações indígenas e quilombolas contra a covid-19 terá início no sábado, 23, e afirmou desconhecer o motivo que levou o governo federal a excluir parte desse grupo do Plano Nacional de Imunização.

Segundo informou Doria, a vacinação de indígenas terá início em São Bernardo do Campo, em uma comunidade próxima à Encosta da Serra do Mar, e a de quilombolas pelo Vale do Ribeira, litoral sul do Estado e região em que o presidente Jair Bolsonaro viveu até completar os 18 anos.

"Lamentavelmente, a população quilombola foi excluída da campanha nacional de imunização. Nós não sabemos por que o governo federal excluiu a população quilombola do País do Plano Nacional de imunização, mas em São Paulo os quilombolas serão vacinados", disse o governador João Doria, em entrevista coletiva na sede do governo paulista.

Em 2017, o presidente Jair Bolsonaro foi condenado, em decisão da primeira instância que acabou revertida, a multa de R$ 50 mil "por danos morais coletivos a comunidades quilombolas e à população negra" por falas dadas após visita a um quilombo em Eldorado Paulista, no Vale do Ribeira.

Durante palestra no Clube Hebraica, no Rio de Janeiro, o então deputado Jair Bolsonaro havia dito: "O afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada. Eu acho que nem para procriadores servem mais."