SABESP AGOSTO DESK TOPO
SABESP AGOSTO MOB

Doria diz que SP começa a ter declínio na curva de mortes por coronavírus

O estado ultrapassou hoje a marca de 15 mil óbitos provocados pela Covid-19

Comentar
Compartilhar
01 JUL 2020Por Agência Brasil16h20
João Doria, governador de São Paulo, durante coletiva de imprensaFoto: Agência Brasil

Completando 100 dias de quarentena hoje (1º), o estado de São Paulo começa a mostrar declínio na curva de óbitos pelo novo coronavírus e pode estar entrando em um platô - situação de pico contínuo, com estabilidade de indicadores. A afirmação é do governador de São Paulo, João Doria. O estado ultrapassou hoje a marca de 15 mil óbitos provocados pelo novo coronavírus.

“Dados do nosso comitê de saúde indicam uma mudança na curva da pandemia no estado de São Paulo, especialmente na capital paulista”, disse o governador hoje (1º). “Fechamos o mês de junho na margem inferior da projeção de óbitos. Centenas de vidas foram poupadas em junho. Pela primeira vez, desde o início da pandemia, tivemos um leve declínio na curva de vítimas fatais. Conseguimos reduzir em 144 falecimentos na última semana [na comparação com a semana anterior]. Não quero ser otimista e nem pessimista. Quero ser realista. Esses dados nos dão esperança de que São Paulo está chegando próximo do platô, que é a faixa superior e terá uma certa horizontalidade. Na sequência, esperamos o decréscimo de pessoas infectadas e principalmente de vítimas", acrescentou.

A taxa de letalidade da doença no estado, e que demonstra a gravidade da doença entre os que estão infectados, está atualmente na faixa de 5,2%. Mas, segundo o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, há 57 municípios do estado que apresentam uma taxa de letalidade acima de 10%, o que preocupa o governo. "O governo do estado vai fazer duas ações importantíssimas com esses 57 municípios. Vamos fazer uma política de testagem mais contundente e, no paralelo, uma vez que nenhum deles tem uma ocupação [de leitos] superior a 80%, também faremos uma qualificação das equipes de saúde", disse Vinholi.