Doria afirma ter certeza de que decisão judicial sobre marginais será revertida

O plano do prefeito de São Paulo é aumentar o limite de velocidades dos carros nas duas vias das marginais do Rio Tietê e Pinheiros

Comentar
Compartilhar
22 JAN 2017Por Folhapress04h30
João Doria (PSDB) reafirmou que a gestão municipal vai recorrer da decisão judicialFoto: Ernesto Rodrigues/Folhapress

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB) reafirmou que a gestão municipal vai recorrer da decisão judicial que proibiu o aumento de velocidade nas marginais do Rio Tietê e Pinheiros.

O plano de Doria é aumentar o limite de velocidades dos carros nas duas vias - o que foi barrado na sexta-feira pela Justiça. A redução foi uma das medidas do ex-prefeito Fernando Haddad (PT). Estudos mostram diminuição nas mortes e melhoria no trânsito.

Segundo Doria, os argumentos técnicos para a elevação da velocidade serão apresentados à Justiça.

"Nós vamos recorrer na segunda-feira junto à justiça com a confiança absoluta que vamos reverter esse decisão liminar", disse. "Temos confianças nos estudos preparados pelos técnicos e engenheiros sob comando do Sérgio Avelleda (secretario de Transportes) serão absolutamente suficientes pra convencer os juízes de que estamos com a razão".

Doria disse que a campanha com ex-piloto de F-1 Emerson Fittipaldi sobre o aumento da velocidade foi suspensa neste momento. Mas o plano da prefeitura é retomar a publicidade caso a decisão seja revertida na Justiça.

A entrevista de Doria ocorreu após mais uma agenda do programa chamado Cidade Linda, de recuperação e limpeza de pontos da cidade. Doria ficou cerca de 30 minutos auxiliando a limpeza e pintura da parada de ônibus Roque Petroni Jr., na Avenida Santo Amaro, na região do Brooklin, zona sul.

Ele se vestiu com roupas da equipe de conservação e também posou para muitas fotos. Secretários, assessores e vereadora acompanharam a ação, além do vice-prefeito, Bruno Covas.

O prefeito ainda anunciou que a Prefeitura conseguiu emprego para 5,5 mil moradores de rua. A maioria é em empresas de conservação e limpeza.

Segundo o tucano, 500 pessoas já vão começar na próxima semana. "Nosso objetivo é alcançar 20 mil empregos neste semestre", disse. "Até julho deste ano".