Deputada quer 'Programa Escolhi Esperar' em todo o Estado de São Paulo

Parlamentar afirma que programa não quer impor abstinência sexual, mas orientar adolescentes brasileiros

Comentar
Compartilhar
24 JUN 2021Por Da Reportagem11h20
Deputada estadual bolsonarista Leticia Aguiar apresentou projeto de lei de nome igual e conceito similar ao de seu colega vereador da capitalDeputada estadual bolsonarista Leticia Aguiar apresentou projeto de lei de nome igual e conceito similar ao de seu colega vereador da capitalFoto: Divulgação

Nos próximos dias a deputada estadual Leticia Aguiar se reunirá com o vereador Rinaldi Digilio para trabalharem em conjunto na aprovação das leis tanto na esfera municipal quando na estadual.

Foi após reunião virtual com o vereador paulistano, Rinaldi Digilio (que apresentou na Câmara de Vereadores o projeto "Programa Escolhi Esperar), que a deputada estadual Leticia Aguiar apresentou na Assembleia Legislativa de São Paulo o projeto de lei 392/2021, com objetivo de conscientizar a população adolescente sobre os riscos da gravidez precoce.

Ambos projetos de lei "Escolhi Esperar", tanto o estadual quanto o municipal, não propõem a "abstinência sexual", mas querem oferecer orientação para que os adolescentes tenham a livre escolha para decidir adiar o início de sua vida sexual como um maneira eficiente de prevenir a gravidez precoce.

"Na maioria das vezes, a gravidez precoce ocorre por falta de informações. O projeto garante o direito à informação e conscientização sobre os riscos de uma gravidez precoce e indesejada, contribuindo para impedir o crescente número de abortos durante a adolescência", disse Leticia Aguiar.

A deputada Leticia Aguiar destacou que o Programa Escolhi Esperar não trata de abstinência sexual ou visa retirar o direito, ou substituir os métodos contraceptivos existentes, "Precisamos orientar e conscientizar os adolescentes sobre as possíveis consequências da gravidez precoce, incluindo principalmente a participação da família" declarou.

Outros objetivos do projeto são promover palestras e capacitação dos profissionais de saúde, educação e dos demais agentes que atuam na promoção, proteção e defesa dos direitos da criança e do adolescente e integração com outros órgãos estaduais, como o Ministério Público, a Defensoria Pública, o Conselho Tutelar, Conselhos de Direitos da Criança e do Adolescente e ONGs que atuam com o público jovem.

Mais detalhes do projeto de Leticia Aguiar serão passados nos próximos dias. O texto, já publicado no Diário Oficial, permanece na pauta da Assembleia Legislativa para conhecimento de todos os deputados e propostas de emendas. O projeto segue para análise nas comissões correspondentes e depois para votação em plenário.