X
Brasil

Cracolândia: Ação de limpeza termina em confronto

PMs e guardas da GCM entraram em confronto com usuários de drogas que se concentram na cracolândia da praça Princesa Isabel, no centro de São Paulo

Ruas da cracolândia vazias após ação policial / Reprodução/ Globo TV

Guardas-civis metropolitanos e policiais militares entraram, nesta terça-feira (10), em confronto com usuários de drogas que se concentram na cracolândia da praça Princesa Isabel, no centro de São Paulo.

À reportagem um inspetor da GCM disse que o episódio teve início durante uma ação de zeladoria, realizada rotineiramente na praça. Segundo ele, as equipes foram atacadas de maneira hostil, com pedras e garrafas. Com isso, diz ele, foi necessária a intervenção.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Nesta tarde, enquanto PMs tentavam controlar usuários que ateavam fogo em sacos de lixo nas vias do entorno da praça a fim de evitar o avanço deles. Com escudos, guardas-civis protegiam agentes da prefeitura que removiam barracas espalhadas pela praça.

O confronto levou ao fechamento de vias no entorno da praça e ao espalhamento de usuários de droga pelas avenidas Rio Branco e Duque de Caxias. Pontos de ônibus da região foram depredados.

De acordo com a polícia, prisões forçaram os traficantes a delegar a venda de drogas aos dependentes químicos do próprio fluxo, chamados "lagartos", que recebiam pequenos valores ou pedras de crack pelo serviço.

Invés de tijolos de crack como antes, os traficantes passaram a colocar a venda nas barracas pequenas porções de droga para serem comercializadas.

 

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Polícia

Sindpesp aciona a Justiça contra a Operação Sufoco

A medida determina que os policiais devem trabalhar mais, em seus períodos de folga, para combater a criminalidade no Estado de São Paulo

Cotidiano

Justiça Federal leiloa 130 imóveis com descontos de até 50%

Com lances virtuais por meio do site da Fidalgo Leilões, eventos também disponibilizam veículos, máquinas e equipamentos gerais; bens imobiliários estão distribuídos no estado de SP e têm preços mínimos a partir de R$ 12,5 mil

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software