Covid-19: Brasil bate recorde de novas infecções registradas em um único dia

País registrou nesta quinta-feira 26.417 novos casos de coronavírus, com 1.156 mortes

Comentar
Compartilhar
28 MAI 2020Por Folhapress20h57
Total de casos confirmados no Brasil chegou a 438.238Foto: DIVULGAÇÃO

O Brasil registrou nesta quinta (28) 26.417 novos casos de Covid-19, recorde de novas infecções registradas em um único dia. O recorde anterior havia sido na última sexta (22), com 20.803 novos casos. Com isso, o total de casos chegou a 438.238.

O País também teve 1.156 novas mortes, o 3º maior número de confirmações em 24h desde o início da pandemia. O Brasil soma 26.754 mortos pela Covid-19.

Na quarta o país registrou 1.086 novas mortes por coronavírus e 20.599 novos casos , segundo dados do Ministério da Saúde.
O Ministério da Saúde não comentou os novos dados. Desde a gestão do ex-ministro Nelson Teich, a pasta tem reduzido o número de coletivas de imprensa ou divulgado dados atualizados apenas após o fim desses encontros.

Representantes da pasta, porém, têm frisado que o Brasil ainda segue com tendência de aumento de casos.

Apontam ainda que o número real tende a ser maior, já que ainda há testes represados em alguns locais e possibilidade de subnotificação.

Um exemplo disso é que o país soma, atualmente, 4.211 mortes ainda em investigação.

Das 1.156 novas mortes confirmadas nesta quinta, 539 ocorreram nos últimos três dias. As demais são de datas anteriores. O balanço completo não foi divulgado.

O estado de São Paulo tem o maior número de casos, com 95.865 já confirmados. Em seguida, está o Rio de Janeiro (44.886), Ceará (37.821) e Amazonas (36.146).

A classificação muda, porém, quando observado o total de mortes. Nesse caso, o maior número de registros ocorre em São Paulo (6.980), Rio de Janeiro (4.856), Ceará (2.733), Pará (2.704) e Pernambuco (2.566).

Também há mudanças quando observada a lista por incidência - parâmetro que considera o total de casos pela população.
Atualmente, as regiões com maior incidência são Norte e Nordeste, seguido do Centro-Oeste, Sudeste e Sul.

A situação é mais grave no Amapá e Amazonas, estados cujas capitais apresentam sinais de colapso. O primeiro tem 963,9 casos por 100 mil habitantes. O segundo, 872,1 casos por 100 mil habitantes.

Para comparação, a média nacional é de 208,5 casos por 100 mil habitantes. O avanço da epidemia também aparece em dados da ocupação da rede de saúde.