Coronavírus: Mortes aumentam e Doria prorroga quarentena em São Paulo até 31 de maio

O anúncio foi feito nesta sexta-feira (8), no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista

Comentar
Compartilhar
08 MAI 2020Por Folhapress13h00
Desde 24 de março, apenas serviços essenciais estão abertos ao público no estado, como medida para conter o avanço do novo coronavírusFoto: Divulgação/Governo de SP

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), estendeu a quarentena no estado até 31 de maio.

O anúncio foi feito nesta sexta-feira (8), no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

Desde 24 de março, apenas serviços essenciais estão abertos ao público no estado, como medida para conter o avanço do novo coronavírus. O prazo tem sido postergado várias vezes, segundo o governo isso é avaliado de acordo com a velocidade da contaminação no estado.

No último anúncio, feito em 17 de abril, foi dito que as medidas valeria até o próximo domingo (10). Agora, foram adiadas por mais 20 dias.

São Paulo é o epicentro da pandemia no Brasil, com 39.928 casos confirmados de contaminação pelo novo coronavírus e 3.206 mortes.

Não participou do anúncio o coordenador do comitê de contingência do vírus no estado, David Uip, que já foi contaminado e se recuperou. Ele afirmou que se sentiu mal na última quarta-feira (6), com alterações cardiológicas e clínicas, fez exames e foi orientado por médicos a se afastar temporariamente.

Embora as cidades do interior pressionem para ceder as medidas de conteção, na capital a tendência é de endurecimento. A partir da próxima segunda, começará na cidade um megarrodízio que tirará das ruas metade da frota de SP.

Agora, durante o dia todo e em toda a cidade, não apenas mais no centro expandido, metade dos veículos serão proibidos de circular, em todos os dias da semana, inclusive aos sábados e domingos.

Nos dias pares, poderão circular carros com placa de final par (0, 2, 4, 6, 8). Nos dias ímpares, poderão circular carros com placa de final ímpar (as demais). Na segunda, dia 11, por exemplo, apenas carros com placas com final ímpar poderão circular. Profissionais de saúde serão excluídos da determinação. Quem já tinha isenção no modelo anterior, como motociclistas, taxistas e pessoas com deficiência, continuarão isentos.

No entanto, motoristas de aplicativos como Uber devem obedecer às novas regras que restringem a circulação de veículos. Funcionários de serviços considerados essenciais, como mercados, pet shops, padarias e lotéricas, entre outros, também terão que obedecer ao rodízio com seus carros. A fiscalização será feita por radares eletrônicos e por agentes de trânsito.

Desde quinta-feira, é obrigatório o uso de máscaras no estado de São Paulo para evitar a disseminação do novo coronavírus para qualquer um que saia às ruas e dentro de estabelecimentos que continuam abertos e repartições públicas.