Banner gripe

Construtora sofre com dívidas e falta de projetos

Desde que estourou a Lava Jato, o grupo vem encolhendo por falta de projetos e queimando caixa para concluir as obras já em andamento

Comentar
Compartilhar
14 OUT 2017Por Folhapress21h02
Os novos contratos conquistados em Angola são vitais para a sobrevivência do braço de engenharia e construção do grupo OdebrechtFoto: Divulgação

Os novos contratos conquistados em Angola são vitais para a sobrevivência do braço de engenharia e construção do grupo Odebrecht. Desde que estourou a Lava Jato, o grupo vem encolhendo por falta de projetos e queimando caixa para concluir as obras já em andamento.

As vendas líquidas da construtora caíram de US$ 14,7 bilhões em 2015 para US$ 4,4 bilhões nos 12 meses encerrados em janeiro deste ano. A geração de caixa recuou de US$ 1,7 bilhão para US$ 368 milhões nesse intervalo de tempo.

"Se não conseguirem fechar novos contratos e não receberem dinheiro de volta da controladora, temos um ponto de interrogação sobre o pagamento das dívidas em 2018", afirma Sean Glickenhaus, analista do banco UBS.

A dívida direta da Odebrecht Engenharia e Construção (OEC) é de apenas US$ 234 milhões, mas a construtora garante também os títulos emitidos no exterior por uma subsidiária, a Odebrecht Limited.

Por causa disso, o endividamento total dela chega a US$ 3,334 bilhões.

Colunas

Contraponto