SABESP AGOSTO DESK TOPO
SABESP AGOSTO MOB

Ciclone bomba causará ventos de até 130 km/h nesta quarta-feira

A Defesa Civil catarinense contabiliza nove mortos no estado e uma pessoa desaparecida em decorrência do ciclone extratropical

Comentar
Compartilhar
01 JUL 2020Por Folhapress12h09
O ciclone bomba deixou um rastro de mortes e destelhamentos nos três estados da região Sul do paísFoto: Reprodução

O ciclone bomba que deixou um rastro de mortes e destelhamentos nos três estados da região Sul do país na última terça-feira (30) deve provocar ventos de até 130 km/h nesta quarta (1º). Segundo alerta da Metsul Meteorologia, os ventos poderão ser sentidos no litoral sul de Santa Catarina e na região da Lagoa dos Patos, Aparados da Serra e no litoral norte do Rio Grande do Sul.

A Defesa Civil catarinense contabiliza nove mortos no estado e uma pessoa desaparecida em decorrência do ciclone extratropical. Já foram atendidas mais de 1.600 ocorrências por estragos, e o governo mobilizou mais de mil bombeiros.

A chuva e o vento também ocasionaram queda da energia elétrica. Segundo a Celesc (Centrais Elétricas de Santa Catarina), cerca de 1,5 milhão de unidades ficaram sem luz.

A meteorologista Laura Rodrigues, do Ciram (Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina) explica que dois fenômenos, o ciclone extratropical e a frente fria, geram um sistema que provoca ventos fortes.

"Além do ciclone, tivemos ventos dos temporais. O vento do ciclone é mais persistente, enquanto o vento do temporal é localizado e com chuva. As duas coisas aconteceram", diz Rodrigues.

De acordo com a meteorologista, o ciclone causa mar agitado e ressaca marítima.

"Alertamos para que as pessoas não usem embarcações durante esse período. É preciso cuidado redobrado", diz João Batista Cordeiro Jr., chefe da Defesa Civil catarinense.

No Rio Grande do Sul, a Defesa Civil contabilizou ao menos 871 casas atingidas. São ao menos 750 mil clientes da Ceee (Companhia Estadual de Energia Elétrica) sem energia elétrica. O órgão não confirma que uma morte na cidade gaúcha de Nova Prata seja relacionada ao ciclone.