Campanha de arrecadação de alimentos é lançada por Fiesp e Sesi-SP

Escolas de Santos e Cubatão receberão as doações das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira

Comentar
Compartilhar
05 ABR 2021Por Da Reportagem10h45
A mobilização começa nesta segunda-feira e tem como objetivo recolher o máximo de alimentos não perecíveis em todo o estado de São PauloA mobilização começa nesta segunda-feira e tem como objetivo recolher o máximo de alimentos não perecíveis em todo o estado de São PauloFoto: Divulgação

O presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf, avalia que nesse momento de pandemia da Covid 19 uma das grandes preocupações é com a falta de alimentos na mesa de muitas famílias. "Por esse motivo, a Fiesp e o Sesi-SP iniciaram em 23 de março a campanha de arrecadação de alimentos não perecíveis para distribuição às famílias com maior vulnerabilidade social em todo o estado de São Paulo, sem uma data limite prevista para encerramento", afirma Skaf.

Segundo o presidente da Fiesp e do Sesi-SP, este ano, com o reinício das aulas presenciais em vários municípios e, com isso, impossibilitado de utilizar as cozinhas das escolas como no ano passado, o Sesi-SP será o ponto de recepção de alimentos nas cidades onde não houver restrições mais rígidas de deslocamento.

A distribuição dos itens para a população ficará por conta das ONGs que foram parceiras do Sesi-SP no ano passado, quando foram distribuídas mais de 9 milhões de refeições preparadas pela entidade em todo o estado - diariamente foram produzidas 230 mil refeições por dia nas 110 cozinhas industriais das escolas do Sesi-SP. No inverno, essas ONGs também foram parceiras no repasse de 100 mil cobertores.

A partir de hoje, 5 de abril, Santos e Cubatão contam com 3 postos de arrecadações, seguindo as recomendações municipais Para saber as escolas do Sesi-SP que estarão abertas para receber as doações, basta acessar abaixo.

A lista completa no estado pode ser conferida no site da campanha.

OXIGÊNIO.
Outra situação urgente e que também está sendo acompanhada de perto por Skaf é a escassez de cilindros que acondicionam oxigênio. Na sexta-feira 19, Skaf foi informado de que a prefeitura de São Paulo necessitava de 250 cilindros para serem utilizados em unidades de saúde da capital. No dia seguinte, ele determinou que fosse feito levantamento em todas as escolas do Senai-SP e, assim, as 250 unidades foram disponibilizadas para a prefeitura.

Ele também determinou que seja feita uma verificação em todo estado para identificar empresas que possam ceder cilindros imediatamente. Além disso, o Senai-SP voltou a consertar, gratuitamente, respiradores de hospitais públicos. No ano passado, foram reparados e entregues em pleno funcionamento 205 aparelhos para 62 cidades.

"Nosso objetivo é fazer uma rede de recuperação de respiradores, que é um dos equipamentos essenciais no tratamento dos casos mais graves da Covid-19. É uma contribuição da indústria de São Paulo nesta guerra contra o novo Coronavírus", afirma Skaf.