Bombeiro suspeito de obstruir informações do caso Marielle é preso

Maxwell Simões Correa foi detido em casa, uma mansão em um condomínio de luxo, no Rio de Janeiro

Comentar
Compartilhar
10 JUN 2020Por Da Reportagem13h22
De acordo com o Ministério Público do Rio, o bombeiro "atrapalhou de maneira deliberada" as investigações sobre a morte de MarielleFoto: Reprodução/TV Globo

Na manhã desta quarta-feira (10), o sargento do Corpo de Bombeiros Maxwell Simões Correa, acusado de ajudar a sumir com as armas usadas no assassinato de Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, foi preso. Correa foi detido em casa, uma mansão dentro de um condomínio de luxo, no Rio de Janeiro.

De acordo com o Ministério Público do Rio, o bombeiro “atrapalhou de maneira deliberada” as investigações sobre a morte de Marielle.

"O papel de Maxwell para obstruir as investigações foi ceder o veículo utilizado para guardar o vasto arsenal bélico pertencente a Ronnie, entre os dias 13 e 14 de março de 2019, para que o armamento fosse, posteriormente, descartado em alto-mar", revelou o MP.

Correa também tem ligação com Ronnie Lessa, acusado de ter realizado disparos durante o atentado. "São pessoas extremamente ligadas, tanto na vida do crime quanto na vida social", informou o delegado Daniel Rosa.

Ronnie Lessa e Elcio Queiroz – suposto motorista que perseguiu Marielle – estão presos desde março do ano passado.

A operação Submersus também cumpre outros mandados de busca e apreensão em dez endereços.