Bolsonaro se solidariza com entregador alvo de injúria racial

Comentar
Compartilhar
08 AGO 2020Por Folhapress10h19
Foto: Arquivo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro se solidarizou, nesta sexta-feira (7) nas redes sociais, com o entregador que foi xingado e sofreu injúria racial no interior de São Paulo.

Um cliente do aplicativo iFood que fez um pedido em um condomínio em Valinhos (SP) em 31 de julho aparece em um vídeo chamando Matheus Pires Barbosa, 19, de lixo e inferindo que ele teria inveja da pele branca. O caso foi registrado como injúria racial na delegacia de Valinhos ainda no dia 31 de julho.

"Independentemente das circunstâncias que levaram ao ocorrido, atitudes como esta devem ser totalmente repudiadas. A miscigenação é uma marca do Brasil. Ninguém é melhor do que ninguém por conta de sua cor, crença, classe social ou opção sexual", escreveu Bolsonaro no Facebook.

"Que a indignação dos brasileiros sirva de lição para que atos como esse não se repitam. Todos somos iguais! Embora alguns trabalhem para nos dividir, somos um só povo! Meus votos de solidariedade e sucesso ao entregador Matheus, bem como a toda sua família. Deus os abençoe!", concluiu.

O entregador tem seis meses para representar criminalmente contra o agressor. A pena máxima prevista para o crime de injúria é de três anos e, ao contrário do racismo, ele pode ter fiança.

No boletim de ocorrência, Pires diz que o homem começou a ofendê-lo dizendo coisas como: "preto, favelado, pobre, olha seu tênis furado".

Durante o depoimento que prestou às autoridades, o agressor confirmou o uso dos termos favelado e pobre, mas negou ter feito ofensa com relação a cor do entregador. O registro da ocorrência, porém, afirma que ele voltou a repetir as ofensas diante dos policiais.