Bolsonaro afirma que perpetuar alguns benefícios pode levar ao ‘insucesso'

Presidente foi ao Paraná visitar a obra de construção da Ponte da Integração, que está com 40% completa

Comentar
Compartilhar
01 DEZ 2020Por Gazeta de S. Paulo23h10
Presidente Jair Bolsonaro durante visita às obras da Ponte da Integração Brasil-Paraguai; ele não usou máscara em nenhum momentoFoto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta terça-feira (1º) que perpetuar alguns benefícios é o "caminho certo para o insucesso”. A afirmação foi feita durante visita a Foz do Iguaçu (PR).

Bolsonaro viajou ao Paraná para visitar a obra de construção da Ponte da Integração, que está com 40% completa e deve ser entregue em 2022. As obras da estrutura, que ficará na fronteira com o Paraguai, começaram em 2019.

Durante discurso aos trabalhadores, acompanhado do presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, Jair Bolsonaro falou sobre a ajuda que o país ofereceu à parte da população durante a pandemia.

"Ajudamos o povo do Brasil com alguns projetos por ocasião da pandemia. Alguns querem perpetuar alguns benefícios. Ninguém vive dessa forma. É o caminho certo para o insucesso", afirmou.

O presidente ressaltou que é preciso ter coragem para tomar decisões. "Pior que uma decisão, até mesmo mal tomada, é uma indecisão. Nós temos que decidir. Nós temos que operar pelo nosso povo, pelo nosso país", disse.

Bolsonaro e o presidente paraguaio se encontraram no Marco das Três Fronteiras, ponto de encontro entre Brasil, Paraguai e Argentina. Além de Bolsonaro, outros representantes não usaram máscaras.

Em contrapartida, Mário Abdo usa a proteção facial, retirando apenas para fazer fotos. Bolsonaro interagiu com apoiadores

Obra

A Ponte Internacional da Integração será de responsabilidade do governo do Paraná, através do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e será paga com recursos da Itaipu Binacional.

De acordo com a Itaipu, o investimento total para a construção da nova ponte é de R$ 463 milhões. Segundo o DER, o trabalho nas últimas semanas foi, principalmente, a construção das pernas do mastro no lado brasileiro, que são as estruturas mais altas e que compõem o apoio para os cabos de sustentação.

Aumento

Anteriormente, antes de chegar no Paraná, o presidente Jair Bolsonaro falou sobre o aumento na conta de luz, que começou a valer nesta terça-feira.

De acordo com o presidente, há risco de novos “apagões” caso nada seja feito e justificou que os reservatórios estão com níveis baixíssimos.

A cobrança extra na conta de luz de consumidores foi determinada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) nesta segunda-feira (30).

A Aneel decidiu, em reunião extraordinária, que será cobrada a bandeira vermelha patamar 2. Este é o maior valor no sistema de bandeiras da agência. Como consequência, a cobrança extra será de R$ 6,24 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.