Bebê de 3 meses dorme 3 dias em pronto-socorro à espera de vaga

Após pedido de internação, os pais foram avisados de que todos os leitos estavam ocupados e não havia previsão de liberação

Comentar
Compartilhar
22 ABR 2017Por Folhapress14h30

Stella tem três meses de idade e já sentiu na pele o que é depender do sistema público de saúde: à espera de internação, dormiu três noites no pronto-socorro do Hospital Infantil Cândido Fontoura, sob a gestão Geraldo Alckmin (PSDB).

A saga de Stella, que mora com os pais em Itaquera (zona leste), começou na sexta-feira da semana passada, quando teve febre e dificuldade para respirar, conta a mãe da bebê, a dona de casa Natália Mariano Silva, 21.

Stella e seus pais chegaram ao hospital à tarde. A mãe conta que, após consulta, a bebê fez exames de raio-X e de sangue -mas o resultado demorou. "Tivemos que esperar o resultado até a manhã seguinte", diz Natália.

O diagnóstico: bronquiolite e broncopneumonia. Após pedido de internação, os pais foram avisados de que todos os leitos estavam ocupados e não havia previsão de liberação. Se saísse do hospital, Stella perderia a chance de conseguir uma vaga, diz a mãe dela.

Por mais duas noites, os pais da bebê se revezaram, um dormindo no carro e outro na cadeira do pronto-socorro, ao lado de Stella, em um berço pequeno do hospital -que deu alimentação e banho para uma pessoa.

"É constrangedor passar por uma situação dessas, minha filha chorando o tempo todo e eu sem poder amenizar seu desconforto", diz Natália. Stella foi internada na segunda-feira à tarde e teve alta ontem, por volta das 20h.