Bar é fechado após aglomeração com cerca de 400 pessoas durante pandemia

Maioria estava sem máscara de proteção contra o novo coronavírus

Comentar
Compartilhar
03 AGO 2020Por Gazeta de S. Paulo19h30
Os principais crimes foram desrespeito ao isolamento social e não uso de máscarasFoto: Divulgação

No último final de semana, guardas civis municipais de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, fecharam um bar no bairro da Paulicéia onde cerca de 400 pessoas estavam aglomeradas. A maioria estava sem máscara de proteção contra o coronavírus.

A cidade está na fase amarela do Plano São Paulo, em que é permitida a abertura de bares e restaurantes, mas as medidas de isolamento precisam ser seguidas e o uso de máscaras é obrigatório. Além disso, os estabelecimentos não podem funcionar no período da noite, apenas até 17h.

A Prefeitura de São Bernardo do Campo afirmou que já aplicou 172 multas em estabelecimentos que desrespeitaram as regras da quarentena.

Um levantamento feito pelo Ministério Público a pedido do “G1” mostra que a Polícia Civil registrou durante a pandemia 256 casos criminais de pessoas que desrespeitaram as medidas sanitárias para conter o coronavírus no estado de São Paulo.

A maior parte dos crimes foi na capital, que registrou 30 casos entre os dias 24 de março e 28 de julho. Em seguida, está a cidade de Jales, com 26 casos, e Monte Mor com 19 casos.

Os principais crimes foram desrespeito ao isolamento social e não uso de máscaras. Dos 256 casos, 13 viraram processos judiciais.

OUTRAS FESTAS.
No mês passado, à Gazeta publicou que uma casa noturna de Taboão da Serra, na região sudoeste da Grande SP, promoveu uma festa de aniversário em plena pandemia com cerca de 250 pessoas reunidas. Todos também estavam sem máscaras.

Ainda em Taboão da Serra, um baile funk promovido no último dia 15 de junho reuniu mais de 300 jovens na rua Irmã Paula Loebenstein, no Sítio das Madres. O evento só foi encerrado após a chegada da Guarda Civil Municipal (GCM).