X
Brasil

Auditores que fiscalizam trabalho escravo paralisam em 13 Estados

O texto também altera o modelo de fiscalização e abre brechas que podem dificultar a comprovação e punição desse tipo de crime

Os auditores que fiscalizam o trabalho escravo, funcionários do Ministério do Trabalho, decidiram paralisar suas atividades em 13 Estados. A manifestação ocorre em resposta a uma portaria editada pelo Ministério do Trabalho e publicada nesta segunda-feira (16), que traz regras que dificultam o acesso à chamada "lista suja" de empregadores flagrados por trabalho escravo no país.

O texto também altera o modelo de fiscalização e abre brechas que podem dificultar a comprovação e punição desse tipo de crime.

Em resposta, os auditores fiscais decidiram por uma paralisação no Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Mato Grosso, Pará, Sergipe, Santa Catarina, Bahia, São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Pernambuco e Acre.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Economia

Aposentados receberão R$ 960 milhões em atrasados do INSS

Segundo o conselho, 50.518 processos serão contemplados

Turismo

Desfiles de Carnaval de SP e Rio são adiados para abril

A decisão foi anunciada nesta sexta-feira pelas prefeituras

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software