Artesp apreendeu 1.100 ônibus clandestinos no Estado

Em 2020, Agência de Transporte do Estado de São Paulo fez mais de 80 mil fiscalizações; acidente com ônibus clandestino em Taguaí deixou 42 mortos

Comentar
Compartilhar
02 DEZ 2020Por Gazeta de S. Paulo16h40
Acidente com ônibus clandestino em Taguaí, no interior do estado, deixou 42 mortos no último dia 25 de novembroFoto: Ademilson Tico/Futura Press/Folhapress

A Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) divulgou um balanço apontando que apreendeu 1.100 ônibus clandestinos no Estado em 2020, até o final de novembro. Para transportar passageiros nos ônibus, as empresas precisam estar credenciadas na agência.

Ainda de acordo com o balanço, neste ano, foram realizadas 82.587 fiscalizações pelo órgão. As empresas credenciadas passam por fiscalizações de segurança.

Os técnicos avaliam a parte elétrica e a mecânica, como freios, luzes, cintos de segurança e até a higiene dos ônibus. Em veículos clandestinos, não há nenhuma garantia de manutenção ou segurança.

A Artesp também informou que está preparando um conjunto de regras para o serviço de fretamento de ônibus em todo o estado. O anúncio acontece na esteira do acidente em Taguaí, no interior do estado, que deixou 42 mortos.

Um ônibus e um caminhão colidiram no dia 25 de novembro em uma rodovia. No ônibus, que pertence à empresa Star Viagem e Turismo, estavam cerca de 50 trabalhadores de uma empresa têxtil. Segundo a Artesp, o veículo não tinha autorização para circular.