SABESP AGOSTO DESK TOPO
SABESP AGOSTO MOB

Após ciclone deixar rastro de destruição, autoridades alertam para ondas de 2 metros

O ciclone bomba também levou à queda de algumas árvores em vias de Santos na altura da Avenida General San Martin

Comentar
Compartilhar
01 JUL 2020Por Da Reportagem12h00
Em Peruíbe, donos de embarcações tiveram prejuízos e o prefeito Luiz Mauricio visitou as pessoas afetadas pela ventaniaFoto: Reprodução / Facebook

A Baixada Santista foi atingida por rajadas de vento que chegaram perto de atingir a marca de 100 km/h entre a noite desta terça-feira (30) e a madrugada desta quarta-feira (1º). O fenômeno deixou um rastro de destruição em alguns dos municípios da Região. Um dos municípios mais atingidos, Peruíbe amanheceu com um prejuízo de ao menos nove embarcações parcialmente destruídas e automóveis danificados. O prefeito Luiz Mauricio visitou as áreas mais afetadas e prestou solidariedade às pessoas prejudicadas após a ventania.

O fenômeno é conhecido como "ciclone bomba", segundo alerta a MetSul. As autoridades já esperavam queda de árvores e destelhamentos. Além disso, ainda há possibilidade, mesmo que baixa, de registro de neve em alguns municípios do sul do Brasil.

De acordo com as autoridades de Peruíbe, duas lanchas e sete barcos afundaram devido à passagem do ciclone extratropical intenso. Uma forte onda arrebentou as amarras que prendiam as embarcações ao píer, fazendo com que batessem em uma ponte e algumas ficassem totalmente destruídas. Ninguém ficou ferido.

A força da água também estourou as cordas que prendiam os barcos, fazendo com que eles batessem um no outro e afundassem. Ao passar pelo local, a equipe da GCM prestou apoio com iluminação e pulou na água com pescadores para tentar segurar as embarcações. A Prefeitura afirma que também enviou outras equipes para ajudar. As equipes da Administração da Prefeitura dizem que seguem auxiliando dando assistência aos pescadores e em resgates dos barcos por meio da Defesa Civil.

O ciclone bomba também levou à queda de algumas árvores em vias de Santos na altura da Avenida General San Martin (Canal 7). A passagem da frente fria também ocasionará ventos intensos na região costeira da Baixada e poderá provocar ressaca moderada, a partir desta quarta em Santos. A região também poderá registrar intensificação de ventos e chuva de fraca a moderada. A previsão do Núcleo de Pesquisas Hidrodinâmicas da Unisanta indica que, nesta quarta, o mar começará a ficar agitado, com ondas podendo ultrapassar 2 metros de altura durante a noite e durante a manhã de quinta-feira (2).

De acordo com o Plano Municipal de Contingência para Ressacas e Inundações de Santos, o estado é de atenção devido à previsão de ondas entre 2 e 3 metros de altura. Com relação ao nível do mar, na Baía de Santos a maré pode ultrapassar 1,7m na tarde de sexta (3), representando aumento de 40cm em relação à tábua de maré. No interior do estuário, esse aumento será maior - a previsão é de que o nível do mar ultrapasse 1,8m na sexta (3) à tarde.

Se as previsões se mantiverem, há possibilidade de alagamentos pontuais devido à maré elevada. No entanto, conforme a Defesa Civil de Santos, não são esperados impactos significativos nas estruturas urbanas.