Após 70 dias de ar puro, São Paulo volta a apresentar poluição atmosférica

Doutor em geociências usou como base da análise a estação meteorológica do bairro de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo

Comentar
Compartilhar
16 JUN 2020Por Da Reportagem15h05
Professor diz que esse aumento de emissão de poluentes no ar pode estar ligado à maior flexibilização do comércio na CapitalFoto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas

Uma análise realizada por um especialista em geociências para comparar a qualidade do ar na cidade de São Paulo durante a pandemia do novo coronavírus mostrou que a Capital voltou a apresentar poluição atmosférica após 70 dias sem registrar emissão de poluentes no ar.

O professor Fabrício Bau Dalmas, doutor em geociências e professor no mestrado em Análise Geoambiental da Universidade UNG, usou como base da análise a estação meteorológica do bairro de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, a partir de informações do site da Cetesb. Há 17 estações meteorológicas na região metropolitana da Capital. De acordo com a análise, em todas as segundas-feiras entre 23 de março e 1º de junho não houve qualquer emissão de material particulado no céu da região.

“Esse período condiz com as semanas em que a população da capital paulista manteve os maiores índices de isolamento social”, afirma o professor, em entrevista à Gazeta.

Já em 9 de junho, segundo Dalmas, houve uma média diária de 26,5 microgramas de material particulado por metro cúbico de ar, o que é considerado uma disparada na poluição atmosférica, semelhante a níveis vistos em fevereiro deste ano, antes do início da pandemia.

O doutor em geociências diz que esse aumento de emissão de poluentes no ar pode estar ligado à maior flexibilização do comércio na Capital. O prefeito Bruno Covas (PSDB) autorizou a volta do comércio de rua em 10 de junho, mas desde o anúncio do plano de retomada econômica do governador João Doria (PSDB), em 27 de maio, houve um relaxamento da quarentena em diversas regiões do Estado.

“É possível ter relação com o pessoal ter começado a sair mais de casa, os comércios aos poucos abrindo de novo. Isso dá para ser vista pela própria qualidade do ar em Pinheiros”, finaliza Dalmas. (Bruno Hoffmann)