X
Brasil

Aplicativo recebe denúncias de violência contra praticantes de religiões afro

A ferramenta recebe denúncias de intolerância religiosa e tem até um botão de SOS para as vítimas. O serviço é gratuito e está disponível para download em celulares.

O denunciante também recebe orientação para procurar a Polícia Civil e a Defensoria Pública do Estado. / Fotos Públicas/Divulgação

Cansado de ouvir comentários ofensivos e relatos de violência contra praticantes de religiões afro, Léo Akin Olakunde, um candomblecista do Rio de Janeiro se juntou a um amigo e à namorada para criar o aplicativo "Oro Orum- Axé eu respeito". A ferramenta recebe denúncias de intolerância religiosa e tem até um botão de SOS para as vítimas. O serviço é gratuito e está disponível para download em celulares.

Diante dos ataques, que acontecem em sua maioria na periferia, Léo Akin Olakunde, decidiu criar o aplicativo para facilitar as denúncias e organizar um banco de dados. No Oro Orum- Axé eu respeito, o usuário encontra informações sobre direitos e leis que garantem a liberdade religiosa no país, o combate à discriminação, além do formulário de denúncia. O denunciante também recebe orientação para procurar a Polícia Civil e a Defensoria Pública do seu Estado.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Itanhaém

Itanhaém: presidente da Associação Comercial anuncia novas metas

Allan Petterson, que foi eleito no início deste mês, fala sobre os seus novos planos e metas para incentivar o desenvolvimento do comércio local

Esportes

Santos anuncia manutenção de ingressos a preços populares no Campeonato Paulista

Os preços dos bilhetes inteiros vão ser mantidos a partir de R$ 40,00, com a possibilidade da meia entrada a R$ 20,00 para quem dispõe do desconto para arquibancada, geral e cadeiras cativas

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software