Aconteceu com você? Sabesp reduz pressão e moradores de SP ficam sem água mais cedo

Público começa a notar falta d'água cada vez mais frequente e empresa admite que teve que tomar providências devido a crise hídrica

Comentar
Compartilhar
25 SET 2021Por Da Reportagem10h35
Crise hídrica vem dificultando a vida dos brasileiros durante 2021Crise hídrica vem dificultando a vida dos brasileiros durante 2021Foto: Divulgação

* Com informações da Folhapress

Pessoas que moram no Centro de São Paulo e também nas zonas Norte, Leste e Oeste do maior município do País afirmam que estão ficando sem água mais cedo do que normalmente. Em nota, a Sabesp admitiu que reduziu a pressão. As informações são do G1 SP.

Em algumas regiões da Zona Norte da Capital, alguns moradores afirmaram que a água começou a acabar por volta das 15h da última quarta-feira (22). Já na Zona Oeste, algumas pessoas relataram que registrou falta de água durante a manhã de terça-feira (21). No Centro, a situação ocorreu por volta das 19h de sábado (18). Tradicionalmente, o corte de água ocorre durante a noite ou de madrugada.

A falta de chuvas deixou os reservatórios das hidrelétricas do Brasil em seu pior nível em 91 anos e tem forçado o Governo Federal a tomar medidas para tentar afastar o risco de racionamento de energia. Na Baixada Santista, algumas regiões das nove cidades têm registrado falta de água com uma frequência maior do que o usual. Na Zona Noroeste de Santos e em parte de São Vicente, alguns moradores registraram falta d'água em horários não usuais e que não coincidem com nenhum tipo de manutenção da rede de abastecimento.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp: https://bit.ly/diariodolitoral
Mantenha-se bem informado.

Em nota, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo afirmou que teve que tomar medidas para diminuir o abastecimento da Capital.

"A Sabesp informa que realiza na Região Metropolitana de São Paulo a gestão de pressão, prática recomendada internacionalmente: quando há menos consumo, reduz-se a pressão nas redes a fim de evitar perdas por vazamentos e rompimentos; quando o uso é retomado, a pressão é reajustada.

É algo semelhante ao que ocorre à noite, por exemplo, com o transporte público: com menos demanda, reduz-se a circulação de ônibus. Imóveis com caixa-d’água com reservação para ao menos 24 horas, como determina o decreto estadual 12.342/78, não sentem os efeitos de eventuais manutenções ou da gestão de demanda noturna. A Sabesp recomenda aos moradores que conectem torneiras e outros equipamentos hidráulicos às caixas-d’água.

O sistema de distribuição de água da Região Metropolitana é complexo, a operação do sistema é dinâmica e situações pontuais podem gerar alteração no abastecimento e também na gestão da pressão na rede que é monitorada e avaliada diariamente pela Sabesp. Assim sendo, considerando situações pontuais, estão válidas as informações do site sobre os horários previstos da gestão da pressão.

A Sabesp informa ainda que o total de imóveis afetados por falta de água caiu 13,6% quando comparados os registros na Central de Atendimento de janeiro a julho de 2020 com janeiro a julho de 2021.

A Companhia está à disposição pelos canais de atendimento ao cliente, telefones 195 e 0800 055 0195 (ligação gratuita) e pela Agência Virtual no site."