Caio Matheus paga salários com reajuste rejeitado por servidores em assembleia

Prefeitura paga salários do funcionalismo com 3,5% de aumento, valor que havia sido rejeitado pelos servidores em assembleia. Categoria pode entrar em greve

Comentar
Compartilhar
01 ABR 2017Por Da Reportagem11h30
O Executivo municipal foi informado sobre a rejeição da proposta por meio de ofício enviado à PrefeituraFoto: Rodrigo Montaldi/DL

O prefeito de Bertioga, Caio Matheus (PSDB) lançou na folha de pagamento da categoria o reajuste de 3,5% que havia sido rejeitado em assembleia realizada pela categoria na última terça (28).

O funcionalismo quer aumento de 7,87% - valor do reajuste do IPTU de 2017, que historicamente sempre balizou o aumento do servidor - e incremento do vale alimentação de R$ 152 para R$ 200.

O Executivo municipal foi informado sobre a rejeição da proposta por meio de ofício enviado à Prefeitura na quarta-feira (29), dia seguinte à assembleia. A atitude esperada pela categoria era uma nova proposta. Nesta sexta-feira (31), porém, a categoria foi surpreendida pelo aumento nos salários, por meio de um Ato Interno do prefeito.

Noca proposta e greve

O Sindicato convocou uma reunião no fim da tarde de sexta (31) para discutir o assunto, reunindo expressivo número de funcionários públicos.

A categoria decidiu esperar até a próxima sexta-feira (7) uma nova proposta por parte da administração municipal. “Temos uma assembleia marcada para o dia 10. Se até lá a prefeitura não apresentar uma nova proposta, consideramos a hipótese de declarar estado de greve, além de fazer manifestações a favor dos nossos direitos”, diz o presidente do sindicato, Jorge Guimarães.