Após denúncia de construção irregular, Polícia Ambiental aplica multa em Bertioga

Homem recebeu multa no valor de R$ 336,00 após autoridades terem flagrado destruição de mata nativa

Comentar
Compartilhar
03 MAR 2021Por Da Reportagem11h35
Dono de terreno em Bertioga recebeu multa de mais de R$ 300Dono de terreno em Bertioga recebeu multa de mais de R$ 300Foto: Polícia Militar Ambiental / Divulgação

Agentes da Polícia Militar Ambiental flagraram um caso de destruição de mata nativa e aplicaram multa ao proprietário de um terreno em Bertioga durante a manhã desta terça-feira (2). 

Os profissionais chegaram ao local após receber informação de que haviam sido constatados danos à vegetação em um terreno que fica localizado próximo a área de mata nativa na cidade. Ao encontrar a área que gerou a denúncia, os policiais notaram que se tratava de um terreno murado. Um homem que estava no local se identificou como proprietário e, após tomar ciência da vistoria, autorizou e acompanhou a equipe policial.

De acordo com a Polícia Ambiental, o terreno era cercado com muros de alvenaria medindo 16x30m com 0,048 ha. Eles identificaram que havia vegetação nativa de floresta alta de restinga no estágio médio de regeneração e que intervenções na área geraram degradação ambiental através de supressão da vegetação medindo 11x16m com 176m² através de corte raso nos fundos do terreno e retirada das raízes.

Ao questionar o proprietário se ele possuía algum tipo de documento ou autorização do órgão ambiental competente para tal ato ele afirmou que não, mas justificou que o terreno é financiado, legalizado no cartório do município e possui apenas planta do lote. O desmatamento foi feito com o objetivo de construir uma moradia para morar com sua família.

Diante disso, os agentes redigiram um auto de infracao ambiental por 'destruir ou danificar florestas' sem autorização ou licença do órgão ambiental competente, mediante supressão e bosqueamento. O homem recebeu uma multa no valor de R$ 336,00, além do embargo da área e de demolição, sendo o autuado orientado sobre o prazo para demolição até a data do agendamento ambiental.