X
Automotor

A nova geração do Toyota Land Cruiser

Com setenta anos de estrada, o Toyota Land Cruiser é apresentado em sua nova geração

Crédito das fotos: Divulgação

O novo Land Cruiser adota uma versão atualizada da estrutura de "escada", utilizando as tecnologias de soldagem mais recentes, a estrutura leve de alta rigidez / Divulgação

O Land Cruiser era originalmente conhecido como Toyota BJ quando foi lançado, em 1951, há exatos setenta anos, com características de um veículo com tração nas quatro rodas equipado com um motor potente. Nas sete décadas de trajetória, o modelo tem procurado oferecer proteção e segurança para vários tipos de clientes. Em todo o mundo, o Land Cruiser sempre prometeu levar as pessoas a qualquer lugar e em todas as partes do planeta. Foi lançado no Brasil em 1958, quando foram montadas por aqui as primeiras unidades da série J20 do 4x4. Apesar do nome Bandeirante, o carro era idêntico ao feito no Japão, já que era importado em kits CKD (Complete Knock-Down). A nacionalização do Bandeirante só aconteceu em 1962, com a inauguração da fábrica de São Bernardo do Campo (SP), a primeira da Toyota fora do Japão. O J20 foi substituído pelo J40, que seguiria em produção por aqui até 2001. Em quarenta e três anos, a Toyota produziu 103.750 unidades do Land Cruiser no mercado brasileiro. No mundo todo, foram aproximadamente 10,6 milhões de unidades vendidas em mais de cento e setenta países. Na nova versão do Land Cruiser, a Toyota manteve a mesma estrutura de chassi, aliada à nova plataforma GA-F, que se baseia na filosofia TNGA. A identidade do veículo também foi remodelada pela fusão de tecnologias de ponta com conhecimentos acumulados ao longo dos setenta anos de história do veículo multiuso.

O novo Land Cruiser adota uma versão atualizada da estrutura de “escada”, utilizando as tecnologias de soldagem mais recentes, a estrutura leve de alta rigidez, com desempenho de segurança de colisão aprimorado, silêncio e qualidade de condução. A carroceria – para até seis pessoas, em três fileiras 2:2:2 – combina um número maior de placas de aço de alta resistência no capô, no teto e nos painéis das portas, e o trem de força foi movido sete centímetros para trás e 2,8 centímetros para baixo. Essas melhorias levaram a uma redução no peso de cerca de duzentos quilos, um centro de gravidade inferior e uma distribuição de peso dianteira-traseira superior. De acordo com a marca oriental, a redução do peso contribui ainda para melhorar o “desempenho ambiental” do modelo.

A carroceria  para até seis pessoas, em três fileiras 2:2:2  combina um número maior de placas de aço de alta resistência no capô, no teto e nos painéis das portas

São dois “powertrains” a empurrar o grande carro da Toyota – de 4,95 metros de comprimento, 1,97 metro de largura, 1,86 metros de altura e impressionantes 2,90 metros de distância de entre-eixos. O primeiro é um 3.5 V6 biturbo a gasolina com 415 cavalos de potência e 65,5 kgfm de torque. A versão a gasolina de quatro tempos e injeção direta com turbo (D-4ST) tem um curso mais longo e posicionamento otimizado do ângulo da válvula para combustão em alta velocidade. O duplo turbo de alta eficiência oferece grande torque em baixas velocidades e boas respostas. Já o 3.3 V6 diesel biturbo apresenta, segundo a Toyota, várias modificações, como nas câmaras de combustão de pistão, nas portas de admissão e nos injetores. Ele combina uma potência máxima de 309 cavalos e um torque de 70,5 kgfm com eficiência energética. Ambos propulsores estão acoplados à transmissão automática de 10 velocidades, com intervalos mais curtos entre as marchas e uma relação mais ampla, resultando em um rodar confortável e mais rítmico, melhores eficiência de combustível em altas velocidades e aceleração de partida e desempenho off-road.

Alinhado com sua plataforma atualizada, o novo Land Cruiser apresenta um recém-desenvolvido sistema de suspensão traseira com eixo rígido de articulação e a dianteira de dois braços de montagem alta. A posição dos amortecedores traseiros foi redesenhada para maior conforto de condução e estabilidade de direção. A modificação da localização dos braços de suspensão resultou em uma postura mais estável mesmo durante a frenagem, além de melhorar a articulação das rodas para os pneus permanecerem mais tempo no solo. Por outro lado, o carro garante força e capacidade off-road mesmo se uma ou mais rodas estiverem sem contato com o chão. O veículo usa um novo sistema de Suspensão Variável Adaptativa Solenóide Linear, que controla a força dos amortecedores de forma independente para cada roda em resposta às condições da estrada e operação do motorista – item de série nas versões ZX e GR Sport.

O condutor pode alternar entre as imagens capturadas em cada uma das quatro câmeras e, assim, verificar as condições da estrada em pontos cegos

A nova geração do Land Cruiser combina um sistema de direção hidráulica capaz de resistir ao uso em ambientes severos com um atuador elétrico. Isso permite a adição de funções de suporte de direção, como o Lane Tracing Assist, e oferece boa capacidade de manobra em baixas velocidades, recuo reduzido durante a condução off-road e uma sensação de direção mais “tranquila”. O modelo está equipado com um sistema de freio de controle eletrônico que detecta a entrada do pedal para gerar a força de frenagem ideal por meio de seus dispositivos. O carro tem o Diferencial Torsen Limited Slip (LSD), que garante tração linear nas rodas traseiras. Ao virar e acelerar, o sistema distribui de forma equalizada o torque de tração de acordo com a carga experimentada pelas rodas de trás. Ao dirigir em linha reta, o sistema responde rapidamente às mudanças nas condições da estrada para maior estabilidade.

Especificamente no off-road, o Multi Terrain Select oferece suporte em condições de estrada nas quais é comum se ficar preso devido à patinagem das rodas ou se perder velocidade por causa da falta de torque de tração. O motorista pode selecionar então um dos seis modos – “Automático”, “Sujeira”, “Areia”, “Lama”, “Neve” e “Rocha” – e o sistema garante desempenho off-road por meio do controle automático e integrado de torque de tração, da suspensão e do sistema hidráulico de freio. No modo “Auto”, que avalia as condições predominantes da estrada por meio de uma série de dados do sensor e aumenta o torque de direção, o sistema oferece o desempenho off-road apropriado de acordo com as condições predominantes. O Multi Terrain Monitor usa quatro câmeras - posicionadas na frente, atrás e em ambos os lados do veículo - para ajudar o motorista a verificar as condições ao redor do carro. O condutor pode alternar entre as imagens capturadas em cada uma das quatro câmeras e, assim, verificar as condições da estrada em pontos cegos. Se o veículo parar enquanto a tela estiver exibindo imagens da câmera frontal, o motorista pode pressionar um botão para alternar para a visualização do piso. Isso mostra imagens feitas pela câmera frontal antes que o veículo tivesse parado, revelando uma visão de baixo do carro.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Polícia

Corregedoria investiga aparição de pênis de borracha em academia da PM

A academia do Barro Branco tem aproximadamente 660 cadetes, além de cerca de 140 funcionários

Turismo

Réveillon no Rio de Janeiro está cancelado

Paes já tinha afirmado que analisaria o cenário epidemiológico e que tomaria uma decisão sobre a manutenção ou não da festa até o dia 15

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software