Tenente Coimbra - Vacinação: a vez dos profissionais da Segurança e da Educação

É muito bom que essas categorias sejam priorizadas e possam exercer suas atividades de forma segura, pois a retomada do crescimento depende também da sua força de trabalho

Comentar
Compartilhar
14 ABR 2021Por Artigo06h49
Tenente Coimbra, deputado estadualTenente Coimbra, deputado estadualFoto: DIVULGAÇÃO

A vacinação contra a covid dos profissionais da Educação e da Segurança Pública começou. Cerca de 530 mil pessoas, que desempenham funções fundamentais para o Estado, têm sido imunizadas desde a semana passada. É muito bom que essas categorias sejam priorizadas e possam exercer suas atividades de forma segura, pois a retomada do crescimento depende também da sua força de trabalho, que cumpre tarefas de extrema responsabilidade em áreas essenciais.

A previsão é de que sejam vacinados 180 mil policiais civis, militares e técnicos-científicos, agentes penitenciários, bombeiros e guardas civis metropolitanos da ativa. Homens e mulheres que, mesmo diante da pandemia, permaneceram nas ruas exercendo sua função de combater a criminalidade, arriscando serem infectados. Alguns, infelizmente, adquiriram o vírus e morreram pela doença. 

Na área da Educação, a imunização contra a covid deve atingir cerca de 350 mil professores e demais funcionários de escolas estaduais, municipais e particulares de todos os setores do ensino, como faxineiros, merendeiras, diretores, com idade a partir de 47 anos. Garantir a vacinação é essencial e permite um retorno com maior proteção para toda a comunidade escolar. 

A retomada das aulas presenciais seguindo os protocolos de segurança é de grande importância, pois muitos alunos (principalmente os que vivem em vulnerabilidade social) não tiveram condições de acompanhar as aulas on-line e estão há um ano praticamente sem estudo. 

A vacinação dos profissionais desses dois setores-base é fundamental pela sua importância. O Estado de São Paulo esperou para colocá-los na lista de prioridades. Somente após um decreto publicado em março foi que o governo finalmente incluiu a Educação na lista de serviços essenciais.

No combate ao coronavírus, a vacina é a arma mais eficiente que temos e, para retomarmos o caminho do crescimento, é necessário garantir a imunização de todas as pessoas envolvidas em áreas essenciais, como a Segurança e a Educação.

A valorização desses profissionais é unânime, com pouca ou nenhuma oposição, e já deveria ter ocorrido, pois é desejo de toda a sociedade que aqueles que garantem proteção nas ruas para as pessoas e os que preparam nossos jovens e crianças para um futuro melhor e produtivo sejam priorizados.

Tenente Coimbra, deputado estadual