Tenente Coimbra - Reforço para a Saúde da Baixada Santista

Para ajudar a suprir a falta de atenção do governo, somente no último ano, encaminhei R$ 2,1 milhões para a Saúde da Região por meio de emendas parlamentares

Comentar
Compartilhar
08 ABR 2021Por Artigo06h40
Tenente Coimbra, deputado estadualTenente Coimbra, deputado estadualFoto: DIVULGAÇÃO

A pandemia intensificou a necessidade de os poderes públicos investirem na Saúde. Reforçar os cofres do Sistema Único de Saúde (SUS), além de salvar vidas, auxilia no retorno do crescimento e desenvolvimento de todo o país. 

A Baixada Santista, no entanto, sofre com o deficit no repasse do governo estadual para o setor, conforme divulgado pela imprensa local, no último domingo (4/4). Em 2020, os gastos estaduais com a Saúde dos municípios foram de R$ 18,8 bilhões, sendo que somente R$ 532,1 milhões foram enviados para a nossa região. O Estado investiu aqui menos de 3% do seu orçamento para a área.

Não é de hoje que a Baixada Santista não recebe o cuidado necessário e ainda acaba “pagando a conta” de outras regiões que, proporcionalmente, possuem população e arrecadação menor. É um absurdo que tenhamos um repasse tão inferior.

Para ajudar a suprir a falta de atenção do governo, somente no último ano, encaminhei R$ 2,1 milhões para a Saúde da Baixada Santista por meio de emendas parlamentares. Em meio a uma crise provocada pela pandemia e com os valores cada vez mais altos dos produtos, é essencial garantir que não faltem recursos para os municípios investirem na contratação de médicos e enfermeiros e no abastecimento de medicamentos, insumos e equipamentos, cuja demanda aumentou vertiginosamente.

Como deputado estadual, é uma de minhas funções destinar emendas aos municípios, mas é lamentável que tenhamos que enviar verbas para tentar corrigir distorções do Estado, que muitas vezes faz investimentos questionáveis e deixa de lado localidades que mais necessitam. Seguiremos trabalhando para reforçar os cofres da Baixada Santista e de todas as regiões, evitando que esse descaso do governo impacte diretamente na vida dos cidadãos que precisam do serviço público.

Estamos sempre em contato com diversos prefeitos paulistas para ouvir as suas demandas e encontrar a melhor forma para fortalecer o SUS e, consequentemente, melhorar a qualidade do atendimento à população. Após essas reuniões, podemos indicar ao governo do Estado quais as cidades e instituições que precisam de maior ajuda. 

Essa informação é fundamental para evitar prejuízos e o colapso de todo o sistema, dado que os reflexos de um investimento na saúde pública (ou a falta dele) são sentidos em outros setores como na economia, educação, emprego e segurança.

Somente a arrecadação municipal não arca com todos os custos, ainda mais em meio a uma crise como a que vivemos. Por isso, é necessário identificarmos demandas que o Estado não enxerga e ajudar quem mais precisa.

Tenente Coimbra, deputado estadual