Tenente Coimbra - Entenda a implantação das Escolas Cívico-Militares na Baixada Santista

No modelo cívico-militar, os militares não realizam funções que sejam dos profissionais da educação

Comentar
Compartilhar
02 JUN 2021Por Artigo06h39
O Ministro da Educação, Milton Ribeiro, e o deputado estadual Tenente CoimbraO Ministro da Educação, Milton Ribeiro, e o deputado estadual Tenente CoimbraFoto: DIVULGAÇÃO

As escolas cívico-militares visam o desenvolvimento da aprendizagem na gestão escolar e disciplinar, a fim de contribuir com a ordem e a segurança do ambiente educativo.

Com o nosso trabalho conjunto, São Paulo será o Estado com o maior número de escolas cívico-militares. 

Lembro que, no modelo cívico-militar, os militares não realizam funções que sejam dos profissionais da educação. A proposta da escola cívico-militar é unir o ensino tradicional com fundamentos disciplinares voltados à convivência do cidadão com a sociedade. 

A experiência dos Colégios Militares, que são modelos para o Programa das Escolas Cívico MIlitares, nos mostra que quando você faz ações voltadas à melhoria da infra estrutura, coordenação de rotina, tarefas cívicas (focadas nos direitos/deveres), acompanhamento psicopedagógico, apoio e participação ativa da família, os resultados refletem dentro da sala de aula, gerando maior produção do aluno com os protagonistas da educação:  os professores.

O futuro depende de nossos jovens e crianças e quanto mais condições dermos para terem um bom estudo, mais chances teremos de ver o desenvolvimento e crescimento em todos os setores do país. A Educação deve ser sempre prioridade e, por isso, esse projeto é uma das nossas principais bandeiras.

Visando a melhoria de algumas unidades escolares da Baixada Santista trouxemos com o apoio do Ministro da Educação, Milton Ribeiro, o programa das Escolas Cívico- Militares para três cidades, Santos, São Vicente e Guarujá. Já estamos na fase da realização das audiências públicas para que a comunidade escolar entenda o programa e, depois, será realizada uma consulta pública para a implantação do programa na unidade. 

As audiências de São Vicente e Guarujá ocorreram recentemente. Em ambas demos mais um passo para a implantação das Escolas, os pais puderam tirar suas dúvidas e saíram satisfeitos com as respostas na certeza de que esse modelo escolar veio para somar.

A próxima etapa é a consulta pública, que é um mecanismo de transparência que pode ser utilizado pela Administração Pública para obter informações, opiniões e críticas da sociedade a respeito de um determinado tema. 

É de suma importância incentivar a participação da população nas questões de interesse coletivo para ampliar a discussão sobre assuntos relevantes e embasar as decisões sobre a definição e a aceitação de políticas públicas. Essa fase é importante para esclarecer, por exemplo, que nada será imposto pelo governo federal. A adesão ao modelo ocorrerá nos estados e municípios que o desejarem.

O processo de adesão dos estados e municípios será aberto novamente no final de 2021 e continuaremos lutando para que outros municípios façam adesão ao programa.