Tenente Coimbra - Baixada deve ter duas escolas cívico-militares

Além da unidade de São Vicente, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, adiantou que a região poderá ter mais uma escola neste modelo

Comentar
Compartilhar
25 NOV 2020Por Artigo06h23
Tenente Coimbra, deputado estadualFoto: DIVULGAÇÃO

Na solenidade em homenagem aos Oficiais R/2, que aconteceu no último dia 13, em Santos, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, demonstrou mais uma vez seu desejo de beneficiar a Baixada Santista com a implantação de duas escolas cívico-militares, dentro do programa do governo federal. 

Além da unidade de São Vicente, cujos trâmites para inclusão no Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (Pecim) estão em ritmo adiantado, o ministro adiantou que a região poderá ter mais uma escola neste modelo.

Segundo o ministro informou, em breve, o Ministério da Educação abrirá consultas na Baixada Santista para escolher a nova cidade que integrará o Pecim e ganhará uma unidade do programa.

Esse é mais um grande passo para oferecermos uma educação pública de qualidade para as nossas crianças e adolescentes. No programa, os professores e demais profissionais continuam responsáveis pelo trabalho didático-pedagógico e toda parte de conteúdo, enquanto os militares atuam no apoio à gestão administrativa e na área disciplinar. 

As escolas cívico-militares são conhecidas pelo excelente desempenho no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), com nota média de 6,99, as tradicionais têm média de 4,94. 

Outra característica notável nesse modelo é a redução da violência e vandalismo, que proporciona aos professores e à toda comunidade escolar melhores condições de trabalho, com mais respeito, disciplina e segurança. 

A educação é capaz de transformar uma nação e, por isso, fortalecer o ensino público é o primeiro passo para o desenvolvimento de outros setores. A Educação tem um impacto muito forte em todos os setores da sociedade. 

Quando a qualidade do ensino melhora, a prevenção é feita de forma adequada e a saúde ganha. Quanto maior a escolaridade, mais desenvolvida é a economia de um país. Se quisermos, de fato, ser uma grande nação, temos que investir pesado em Educação. Reduzir a violência e melhorar a segurança pública passam também por um ensino de qualidade. 
  
O Pecim é um dos melhores caminhos para melhorar a qualidade do ensino, e temos sorte de ter um ministro comprometido com a educação dos jovens da nossa região. Esse apoio é fundamental para fortalecer nossa luta. 

Como presidente da Frente Parlamentar pela Criação das Escolas Militares no Estado de São Paulo, podem contar comigo para que o modelo seja implantado em mais regiões do estado.

Tenente Coimbra, deputado estadual