Nova fazenda marinha no RJ vai dobrar capacidade de produção de ostras no Brasil

As notícias do campo por Nilson Regalado

Comentar
Compartilhar
14 FEV 2021Por Artigo13h07
Segundo a revista Seafood Brasil, o investimento da Mexilhões Sudeste Brasil é de R$ 420 milhõesFoto: David Todd McCarty/Unsplash

Por: Nilson Regalado

A maior fazenda marinha do Brasil deverá entrar em operação ainda neste semestre. O empreendimento fica no litoral do Rio de Janeiro, a 2,5 km das praias de Cabo Frio, e vai produzir moluscos bivalves, como ostras e mexilhões. A nova fazenda vai ocupar área equivalente à de 200 campos de futebol e produzirá 35 mil toneladas de frutos do mar ao ano, o que corresponde ao dobro de toda produção brasileira atual, que está concentrada no litoral catarinense. Segundo a revista Seafood Brasil, o investimento da Mexilhões Sudeste Brasil é de R$ 420 milhões, com assessoria de técnicos da Galícia, na Espanha. A MSB promete adotar um plano de negócios de 360 graus, ou seja, produzirá suas próprias sementes em laboratórios de larvicultura, além de atuar na engorda, beneficiamento e venda direta dos moluscos. Os animais serão fixados em espinhéis flutuantes, fundeados por poitas de concretos. O empreendimento deve gerar 500 empregos diretos e outros 1.500 indiretos. A área foi cedida à empresa por 20 anos pela Secretaria de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura.

País dos fazendeiros!
Enquanto a soma de todas as riquezas produzidas no País em 2020 (PIB) foi 4,5% menor do que o apurado em 2019, revelando dramático encolhimento da economia brasileira, o agronegócio seguiu na contramão, com aumento de 19,66% nas riquezas acumuladas pelos fazendeiros no ano passado. Com dólar alto, exportar alimentos foi um ótimo negócio...

País dos fazendeiros?
Com a disparada no preço dos alimentos no mercado interno, o presidente da Argentina, Alberto Fernández, ameaçou impor barreiras à exportação de produtos agrícolas. Resultado: associações de fazendeiros reforçaram nos últimos dias a forte oposição contra o governo de centro-esquerda de Fernández. Na década passada, a ex-presidente Cristina Kirchner enfrentou protestos violentos de fazendeiros e caminhoneiros por adotar política semelhante a que Fernández ameaça agora...

Niemeyer, o Copan...
Uma cachaça em homenagem ao gênio da arquitetura, o brasileiro Oscar Niemeyer, e a uma de suas obras mais famosas, o Edifício Copan, em São Paulo, acaba de receber uma honraria oferecida pela revista britânica Spirits Business. A Cachaça Avuá Copan foi considerada uma das 50 bebidas destiladas mais inovadoras do mundo em 2020, entre centenas de gins, whiskeys e licores analisados.

...a cachaça e o título.
A Avuá Copan só é comercializada na Europa e nos EUA por uma empresa sediada em Nova Iorque e chefiada por dois norte-americanos apaixonados pelo destilado brasileiro. A cachaça é produzida na cidade do Carmo, no RJ. Depois, é envelhecida por dois anos em tonéis de tapinhoã e finalizada por seis meses em barris de Cognac, na França.

Filosofia do campo:
"Quando uma árvore é cortada, ela renasce em outro lugar. Quando eu morrer, quero ir para esse lugar onde as árvores vivem em paz". Tom Jobim (1927-1994), maestro carioca.