Café descoberto na África vira esperança contra colapso no setor com efeito estufa

Considerado extinto na natureza há décadas, café foi encontrado em floresta tropical

Comentar
Compartilhar
25 ABR 2021Por Artigo07h45
Segundo a Agência Reuters, há no Planeta 100 milhões de produtores de café e 124 espécies do grão, com diferenças no sabor e até na cor. Santos é o maior porto exportador de café no mundo.Segundo a Agência Reuters, há no Planeta 100 milhões de produtores de café e 124 espécies do grão, com diferenças no sabor e até na cor. Santos é o maior porto exportador de café no mundo.Foto: VALENTYN VOLKOV/DIVULGAÇÃO

Por Nilson Regalado

Na semana em que a ONU revelou que 2020 foi o ano mais quente na Europa desde que as temperaturas começaram a ser monitoradas há quase 200 anos, pesquisadores anunciaram a descoberta de uma espécie de café que pode evitar o colapso na produção da bebida com o aquecimento global. Considerado extinto na natureza há décadas, o Coffea stenophylla foi encontrado em uma floresta tropical de Serra Leoa por cientistas do Departamento de Pesquisa sobre Café do Royal Kew Botanical Gardens, do Reino Unido.

A grande vantagem do stenophylla é sua maior resistência ao calor que as variedades Coffea arabica e o Coffea canephora, que respondem por 99% da bebida que é consumida anualmente no Planeta. Segundo os botânicos que lideraram a expedição às florestas africanas, o stenophylla se desenvolve bem mesmo em temperaturas médias anuais de 25 graus Celsius. Isso significa que ele suporta até 2ºC a mais do que o canephora e até 7ºC a mais do que o arabica.

O stenophylla chegou a ser produzido comercialmente na África e exportado para a Europa até o início do século 20. Mas, acabou substituído pelo canephora, que é inferior em termos de sabor, mas tem manejo mais simples, o que se tornou uma vantagem naqueles tempos de agricultura rudimentar.

Mais saborosa de todas as variedades de café, o arabica é também o mais sensível ao calor. E isso coloca em xeque sua sobrevivência diante do aumento das temperaturas no Planeta. Estudos indicam que sua produção global pode cair pela metade até meados do século.

A redescoberta do stenophylla foi publicada nesta semana pela revista científica Nature Plants. Há indícios de que a variedade dada como extinta na natureza também seja tolerante à seca e à ferrugem, o que facilita sua "domesticação". Segundo a Agência Reuters, há no Planeta 100 milhões de produtores de café e 124 espécies do grão, com diferenças no sabor e até na cor. Santos é o maior porto exportador de café no mundo.

Pandemia chega ao Peru e...

O Governo do Peru decretou emergência sanitária após a descoberta da cepa TR4 do fungo Fusarium em uma plantação de banana no norte do País. As demais nações da América Latina e Caribe foram alertadas para o risco iminente de propagação do fungo, que é considerado a maior ameaça global para a produção da fruta em meio século..

...ameaça bananeiras no Brasil

Até agora, a Colômbia era o único país das Américas onde o fungo havia sido detectado. E o Equador decidiu pulverizar veículos que cruzam a fronteira para evitar a entrada da doença. O TR4 devasta plantações. A única solução é queimar o solo, que não pode voltar a receber bananeiras.

 Filosofia do campo:

“Caiçara vive de teima, moço, igualzinho banana/A muda na cova, cabeça pra baixo, adubo queimando, sol demais, chuva sobrou/E o broto teimoso levanta a cabeça, fura a terra, vara a chuva, encara o sol, sobe, cacheia, dá fruta/Caiçara vive de teima, moço, igual banana...”, Alzira Pacheco Lomba Kotona, in ‘Vale da Esperança’.