Artigo - Filosofia para quê?

A ideia da verdade move o intelecto a aperfeiçoar-se, cada vez mais, na sua busca através do conhecimento

Comentar
Compartilhar
06 JUN 2021Por Artigo10h10
Diego Monsalvo, professor de filosofia e escritorDiego Monsalvo, professor de filosofia e escritorFoto: DIVULGAÇÃO

Por Diego Monsalvo

Para o filósofo italiano Tomás de Aquino (séc. XIII), "o conhecimento humano não tem apenas o poder de ser verdadeiro, mas ainda o de reconhecimento da verdade."

Ir ao encontro da verdade deve ser a missão daquele que se aventura pelos caminhos da Filosofia. A ideia da verdade move o intelecto a aperfeiçoar-se, cada vez mais, na sua busca através do conhecimento.

Infelizmente, nos dias de hoje, não é raro vermos a filosofia reduzida à uma ideia de saber para iniciados ou como mais uma vítima de palpiteiros em busca de likes, afastando-se assim do seu sentido originário. Porém, com tudo isso, o filósofo não se deve deixar abater e recuar:

- o verdadeiro filósofo é aquele que, de fato, é amigo da sabedoria, e a sabedoria é, também, a verdade, a caridade, a justiça, a paz, a vida e a libertação;

- o verdadeiro filósofo é aquele cuja diretriz de seus estudos consiste, no dizer do filósofo africano Agostinho de Hipona (séc. IV-V), "a alegria de procurar a verdade, de descobri-la e de comunicá-la".

A filosofia, portanto, exige de todos aqueles que nela se aventuram, um raciocínio radical, sistêmico e rigoroso, para melhor servir a sociedade humana; e digo servir, com o seu conhecimento, esclarecendo, denunciando e apontando para o entendimento e soluções aos problemas latentes do seu tempo: a fome, a miséria, o negacionismo, a guerra etc.

A filosofia dirige-se à sabedoria e, sabedoria, implica em existência plena; portanto, algo que vá contra a existência, por mais que alguns queiram chamar de progresso, não se presta à missão filosófica, que luta e promove uma cultura cada vez mais humanizadora e o bem autêntico e autônomo dos indivíduos e da sociedade em seu conjunto.

Nos dias de hoje, dias de globalização de um sistema das desigualdades e da miséria social, reflexo de uma contemporaneidade conturbada pela perda do sentido e do significado, prestemos atenção no que a filosofia, por meio, é claro, dos seus filósofos e filósofas, tem a dizer sobre a ética, sobre o conhecimento, sobre a política e sobre a questão de ser das coisas!

E, principalmente, todos são chamados a filosofar! Pois todos buscam ser mais do que meros corpos e pensamentos limitados e acostumados com o seu tempo e seu espaço! Somos mais, queremos mais e admiramos as estrelas.

Somos livres, mas o preço dessa liberdade é a ousadia da reflexão! E refletir é a capacidade de questionar e analisar o seu próprio pensamento, já é projetar-se para o futuro do mundo que podemos e queremos! Filosofia para quê? Para TUDO!

* Diego Monsalvo, professor de filosofia e escritor