Artigo - Animais e humanos no período da pandemia

A pandemia influenciou questões de relacionamento e convivência não só entre as pessoas, mas também com os animais de estimação

Comentar
Compartilhar
31 AGO 2021Por Artigo16h46
Foto: DIVULGAÇÃO

Por Dr. Edgard Morales Brito

Um estudo realizado pela Hibou (empresa especializada em pesquisa e monitoramento de mercado e consumo) revelou dados importantes sobre a relação animais e humanos no período da pandemia. O estudo traz desde o comportamento de adoção, passando pelos espaços da casa em que os pets têm acesso permitido, até mesmo a como os entrevistados reagiriam no caso de violência contra os animais.

Estar mais perto dos donos fez com que 33,1% dos respondentes notassem que seus bichinhos ficaram mais calmos devido ao convívio mais próximo.  Já 17% dos entrevistados adotaram um bichinho durante a pandemia; 87,9% dos entrevistados possuem cachorros e 33,7% têm gatos;  55% afirmam que a companhia do pet foi um suporte emocional neste período; 69,5% dos entrevistados afirmaram que atos de violência contra os animais deveriam resultar em prisão e serem crimes inafiançáveis. 

A pandemia influenciou questões de relacionamento e convivência não só entre as pessoas, mas também com os animais de estimação. A relação entre humanos e animais se traduz em companheirismo, carinho e parceria, seja para exercícios ou momentos de descontração. O fator do distanciamento social acentuou a parceria durante a rotina e aumentou a possibilidade de aproveitar o companheiro em casa. Os animais representaram um suporte emocional em tempos de pandemia, além disso, as atividades cotidianas foram readaptadas. 

Nos passeios os pets foram companhias para os exercícios físicos e novas brincadeiras foram incluídas na rotina da casa. Mais diversão para todos.  A maior parte dos novos integrantes, os pets, tem toda a casa liberada (63,8%), os quartos também são liberados por 35,4% dos respondentes. Há aqueles bichinhos que conquistaram ainda mais espaço, que podem usufruir de sofás (29,4%) e camas (24,5%). 

Já o quintal (23,6%), como ambiente para os pets dormirem, ocupa a última posição neste ranking. Os serviços de assinaturas para serviços relacionados aos animais de estimação ainda são pouco utilizados entre os donos de pets. 72,8% não possuem nenhuma assinatura ou plano de saúde mensal para seus bichos. 

Dr. Edgard Morales Brito
CLÍNICA VETERINÁRIA